Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quinta-feira, 31 de maio de 2012

CITAÇÃO DO DIA


“Não se pode ser um grande homem sem inconvenientes, o gênio rega as suas obras com as suas lágrimas.”  (Honoré de Balzac (1799-1850), escritor francês, autor de A Comédia Humana, entre outras obras)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG


TRT/CE E OAB INAUGURAM SALA PARA ADVOGADOS
Os advogados que atuam na Justiça do Trabalho contam com um novo espaço de trabalho para exercerem a defesa de empregadores e trabalhadores. O Tribunal Regional do Trabalho do Ceará (TRT/CE) e a Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Ceará (OAB/CE) inauguraram, na sexta-feira (25/5), na sede do Tribunal, uma sala para os profissionais do Direito. Com mesas de trabalho e computador, o espaço está localizado no 3º andar do Anexo I do Tribunal. Durante a inauguração, o Presidente do TRT/CE, Desembargador Cláudio Pires, destacou o aspecto simbólico da nova sala. "O profissional do Direito, a partir de hoje, tem seu próprio local de referência e de apoio dentro do próprio Tribunal", afirmou. Ele também ressaltou a boa fase de entendimentos entre o TRT/CE e advocacia cearense, que trabalharam juntos em projetos como, por exemplo, a implantação do Processo Judicial Eletrônico."Esta é mais uma ação de valorização da advocacia cearense. A nova sala vai permitir ao advogado se sentir parte integrante do ambiente do Judiciário, porque ele terá aqui a sua casa", afirmou o Presidente da OAB/CE, Valdetário Monteiro. Também durante a inauguração da sala, foi feita uma homenagem ao Vice-Presidente e Corregedor do TRT/CE, Desembargador Manoel Arízio Eduardo de Castro, por seus relevantes serviços prestados à magistratura e à advocacia cearense. Impossibilitado de ir ao evento por motivos de saúde, o Desembargador Manoel Arízio Eduardo de Castro enviou uma correspondência na qual dizia estar emocionado com a honraria. O documento foi apresentado aos que participavam da inauguração pela Desembargadora Maria Roseli Mendes Alencar. "Este é um momento impar na minha existência, e faço questão de dividi-lo com todos aqueles que colaboraram para que isso tudo acontecesse", escreveu.

ADOLESCENTE CRIA TÉCNICA PARA DETECÇÃO DE CÂNCER E LEVA PRÊMIO
Um adolescente americano de apenas 15 anos venceu um concurso mundial de ciências pela invenção de um método de detecção de câncer no pâncreas mais eficiente que os tradicionais. Jack Andrada, estudante da cidade de Crownsville, Maryland, criou um sensor que identifica se uma pessoa tem câncer pancreático, mesmo nos estágios iniciais, com até 90% de precisão, por meio de um exame de sangue ou urina. A técnica, patenteada pelo jovem cientista, é 28 vezes mais rápida e cem vezes mais sensível que os testes atuais. Pela invenção, ele recebeu US$ 75 mil (cerca de R$ 148 mil) e recebeu o prêmio mundial de Inovação Jovem Cientista da Fundação Intel, empresa que patrocina o evento. Os outros dois finalistas foram Nicholas Schiefer, de 17 anos, de Pickering, Ontário, Canadá e Ari Dyckovsky, 18, de Leesburg, Virgínia, EUA Cada um recebeu um prêmio no valor de US$ 50 mil (cerca de R$ 99 mil).

COM FUNÇÕES BÁSICAS DE SMARTPHONE E PREÇOS BAIXOS, CELULARES HÍBRIDOS GANHAM ESPAÇO
Telefones híbridos, que mesclam funções de smartphones com o preço e a simplicidade de modelos mais básicos, ganham mais espaço no mercado. Fabricantes já começaram a abrir os olhos para a nova categoria. A Motorola lançou, no fim de abril, o Motogo!. Chamado de "web-phone", ele tem programas pré-instalados, custa R$ 330 e não possui loja de aplicativos. A Nokia oferece o modelo Asha 303, que sai por R$ 399. A Mozilla Foundation, empresa criadora do popular navegador Firefox, anunciou para 2013 um sistema operacional para dispositivos móveis, em HTML5, que possibilitará a criação de apps baseados na web. Com o sistema, celulares mais baratos poderão ter algumas funções semelhantes às dos smartphones.

RIVISTA DO MINO





Hermínio Macêdo Castelo Branco (Mino) é cearense, natural de Fortaleza. Filho de Francisca Macêdo e Raimundo Castelo Branco, nasceu no dia 3 de maio de 1944. Formado em Direito pela UFC (inscrito na OAB), a lista de suas atribuições é extensa: desenhista, artista plástico, cartunista, programador visual, projetista gráfico, poeta bissexto, livre pensador, autor de histórias, fábulas e contos infantis, ilustrador e publicitário. Trabalhando em agências de publicidade e colaborando com quase todos os jornais de Fortaleza, passou vários anos dedicado ao trabalho de criação de marcas, programação visual e projetos gráficos. Edita sua própria publicação mensal "RIVISTA", distribuída através da editora "RISO" (de sua propriedade) para vários colégios no Ceará. RIVISTA contém toda a diversificação de seu trabalho: fábulas, contos, frases, pensamentos, artigos, poesias, ilustrações e cartuns. O "Blog do Borjão" em homenagem ao Mino disponibiliza às 5ª feiras o tópico "RIVISTA DO MINO".

SAÚDE NO BLOG


CRIANÇAS QUE CONVIVEM COM ANIMAIS PODEM DESENVOLVER DOENÇAS GRAVES

Cerca de 70% dos lares no País têm animais, mostram as estatísticas. Em geral eles circulam por todos os cômodos e até se alimentam com os humanos. Convivência tão estreita expõe todas as pessoas a doenças, mas em especial crianças menores de 6 meses, cuja imunidade ainda é frágil. Crianças maiores, que já interagem com os animais, se expõem também a acidentes como mordidas.

por Filumena Gomes*

A criação de animais em casa torna-se uma mania nacional. Eles têm livre acesso a todos os cômodos da casa, alimentam-se com os humanos e às vezes até servem de “babás” para bebês. Uma convivência tão estreita mesmo com animais vacinados representa risco de doenças para todos os seres humanos, mas em especial para as crianças.
O primeiro grupo mais vulnerável são as crianças menores de 6 meses. Nessa idade elas perdem a imunidade herdada da mãe e começam a produzir a própria imunidade. É uma fase em que as defesas orgânicas são frágeis e vão se fortalecendo à medida que têm contato com o ambiente. Os animais representam risco para estas crianças porque apresentam um grupo próprio de microrganismos na pele e internamente. Eles também não têm os hábitos de higiene dos humanos, claro. Assim, as crianças podem contrair tais microganismos ao ter contato tanto com a pele, quanto com a saliva, a urina e as fezes dos animais. Isso independentemente de serem vacinados ou não. As vacinas fazem com que os animais não desenvolvam algumas doenças, porém não todas. Mas os microrganismos continuam neles e podem contaminar todos os humanos, não somente as crianças.
Conheça algumas doenças que podem ser transmitidas por animais às crianças: 
l Micoses. Causadas por fungos, caracterizamse pelo surgimento de alteração na coloração da pele, com descamação e às vezes coceira. Mas os fungos podem causar doenças muito mais graves, como infecções pulmonares.
l Toxocaríase. É causada por vermes de cães e gatos. Pode não dar sintomas ou causar febre, aumento do volume do fígado e dos gânglios, pneumonias de repetição, problemas neurológicos e, mais tarde, problemas de visão.
l Toxoplasmose. É causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, presente nas fezes de gatos e pássaros. Pode não dar sintomas ou causar aumento no volume dos gânglios, febre, dor muscular e de  cabeça, cansaço, aumento do fígado e do baço, mais tarde inflamação da retina, que pode levar até à perda da visão.
l Salmonelose. É causada pela salmonela, comum nas fezes de tartarugas, gatos e cachorros. Pode causar diarreia, meningite e infecção generalizada.
l Coagulação intravascular disseminada. É causada por bactérias presentes na boca dos cães. Caracteriza-se por alterações na coagulação do sangue e surgimento de hemorragias, às vezes fatais. O segundo grupo mais vulnerável são crianças a partir dos 2 anos.
Como já interagem com animais, ficam suscetíveis também a acidentes como mordidas, arranhões e quedas. Crianças asmáticas, enfim, podem ter a doença agravada pelo contato com os pelos dos animais.
Felizmente, é possível evitar que as crianças se exponham aos riscos de problemas e doenças com algumas medidas básicas. Estabeleça um espaço para o animal e não permita que circule por todos os cômodos da casa. Adultos que cuidam dos animais devem higienizar sempre as mãos ao final da atividade. Limpe a casa diariamente. Vacine os animais na periodicidade indicada pelo veterinário e, se adoecerem, trate deles. Não deixe as crianças sozinhas com animais nem que brinquem com a água e a comida deles.
Caso você desconfie que seu filho possa estar com alguma doença relacionada com animais, finalmente, leve-o ao pediatra ou a seu médico para ter o diagnóstico e fazer o tratamento.

(*) Filumena Gomes (CRM 47166), médica pediatra na capital paulista, é assistente do Departamento de Pediatria do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP - filumenagomes@uol.com.br

CIRCULA NA INTERNET


ABUSE E USE

Você sofre uma dor de cabeça na hora de fazer sua declaração de Imposto de Renda, sabendo que vai ter que pagar? Você sente depressão na hora de votar em alguém para cargo público? Você tem ânsia de vômito ao saber que vai ter que ir a algum órgão público pegar um documento qualquer? Sim, isso tem explicação. Procure o seu psicólogo e ele vai revelar  um trauma pelo qual você e milhões de pessoas neste país estão passando.


IMAGEM DO DIA

Uma bela imagem na região do Lago Pichola - Rajasthan - Índia

PIADA DO BLOG


A FISIOTERAPEUTA EFICIENTE
Duas  mulheres bonitas e charmosas estavam jogando golfe numa manhã de sábado. Uma delas errou a tacada e atingiu um jogador próximo. Quando a  bola atingiu o homem, ele imediatamente, juntou suas mãos  entre as pernas e ajoelhou-se gemendo de dor.  A mulher então correu até o local e pediu desculpas, explicando que era fisioterapeuta.
- Por favor, deixe-me ajudá-lo. Sou fisioterapeuta e sei  como aliviar a dor que esta sentindo! Posso fazê-lo  sentir-se melhor se você deixar!
- Ummph . . oooooh . . . Não, não precisa, já vai  passar. Ficarei bem em alguns minutos (disse o cara, quase  sem poder respirar, mas continuando em posição fetal, com  as mãos entre as pernas). 
Mas ela, cheia de culpa, insistiu e ele finalmente permitiu  que o ajudasse. Delicadamente, ela afastou as mãos do cara e deitou-o de lado, abrindo a braguilha da sua calça.  Colocou a mão por dentro e iniciou uma massagem no saco do  cara. Após alguns minutos, ela pergunta:
- Como está agora?
Ele responde já bastante aliviado da dor:
-Hummm... Ótimo!!! Meu dedo polegar até parou de  doer.

TEXTO DO BLOG


A VITÓRIA DO CHELSEA SOBRE O BAYERN

por Luis Fernando Verissimo*

A vitória do Chelsea sobre o Bayern naquele jogo fantástico que decidiu a Copa dos Campeões trouxe um alento para quem ainda acredita na União Europeia. Cada campeonato sensacional da Uefa reforça a ideia de que é possível existir uma comunidade que funcione. O futebol dá o exemplo — não de rivalidade exacerbada entre nações mas do sucesso comercial de um empreendimento comum, fora uma ou outra guerra de torcida.
É verdade que o Chelsea não é um exemplo cem por cento aproveitável de triunfo europeu. É um clube inglês que pertence a um milionário russo e cuja estrela principal vem da Costa do Marfim. Mas quem sabe a solução para a Europa não deva vir de fora e o que falte não seja um patrocinador com muito dinheiro e uma política de imigração que facilite a vinda de muitos Drogbas?
A salvação, quem diria, pode vir da Rússia e de uma política de imigração sem restrições, oposta à proposta atualmente pelos conservadores de toda a Europa.
Um investidor americano já é o dono de outro tradicional clube inglês, o Liverpool. A tendência pode crescer e nada impede que algum milionário compre não um clube grego mas a Grécia.
A Copa da Uefa pode sugerir outras maneiras de a Europa resolver sua crise. A grande discussão, hoje, sobre o futuro do continente, é entre austeridade e crescimento. Por que não transformar esse confronto em futebol?
Times identificados com a austeridade — como uma seleção alemã — contra times pró-crescimento, num torneio bem organizado, com o vencedor final decidindo a política a ser seguida por todos. Com o atrativo adicional de se ver o Messi e o Drogbas no mesmo time.
Mesmo que não aproveitem minhas ideias perfeitamente razoáveis, o futebol dos campeões europeus permanece como um parâmetro para os políticos em busca de uma saída para a crise.
Mas pode, claro, acontecer o contrário: em vez de o futebol mostrar a saída para a crise, a crise alcançar também o futebol. E o espetáculo da final deste ano em Munique ser lembrado como a apoteose que precede o declínio.
Mas, bem ou mal, foi uma apoteose.

(*) Luis Fernando Verissimo romancista e cronista brasileiro nasceu em 26-09-1936 em Porto Alegre - RS, é filho do grande escritor Érico Veríssimo.

INDICADORES DO BLOG


BOVESPA

BOLSAS DO MUNDO
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
VARIAÇÃO (PTS)
TOTAL (PTS)
Dow Jones - Estados Unidos
-1,28%
-160,83
12.419,86
S&P 500 - Estados Unidos
-1,43%
-19,10
1.313,32
Nasdaq - Estados Unidos
-1,17%
-33,63
2.837,36
DAX Frankfurt - Alemanha
-1,81%
-116,04
6.280,80
CAC 40 - França
-2,24%
-69,12
3.015,58
Euro Stoxx 50 - Europa
-2,04%
-44,13
2.116,18
Merval - Argentina
-2,13%
-49,32
2.264,92
Nikkei 225 - Japão
-0,28%
-23,89
8.633,19
SSE Composite - China
-0,21%
-4,97
2.384,67
Hang Seng - China
-1,92%
-365,24
18.690,22
30/05/2012 18h45 | Thomson Reuters
  
MOEDAS
MOEDA
COMPRA (R$)
VENDA (R$)
VAR (%)
Dólar Comercial
2,0156
2,0164
+1,51%
Euro
2,4930
2,4946
+0,23%
Libra
3,1199
3,1213
+0,19%
Peso Argentino
0,4509
0,4513
+1,23%
30/05/2012 18h43 | Thomson Reuters

INFLAÇÃO
ÍNDICE
VALOR (%)
IPCA IBGE (mês)
0,64%
INPC IBGE (mês)
0,64%
IPC Fipe (mês)
0,15%
IPC-DI FGV (mês)
0,52%
IGP-DI FGV (mês)
1,02%
IGP-M FGV (mês)
0,77%
IPA-DI FGV (ano)
1,78%
ICV Dieese (mês)
0,93%
30/05/2012 18h45 | Thomson Reuters

JUROS E POUPANÇA
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
Selic (ano)
9,00%
CDI (ano)
8,71%
TJLP - Taxa de juros de longo prazo (trimestre)
6,00%
TR - Taxa referencial (mês)
0,0077%
Poupança (mês)
0,500%
30/05/2012 18h43 | Thomson Reuters
  
RISCO PAÍS
ÍNDICE
VALOR (PTS)
Risco país Brasil
237,00
Risco país México
212,00
Risco país Argentina
1.233,00
30/05/2012 18h51 | Thomson Reuters

COMMODITIES
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
VARIAÇÃO (PTS)
COTAÇÃO (US$)
Prata
-
+0,07
27,89
Platina
-
-29,45
1.395,70
Petróleo WTI
-3,60%
-3,27
87,49
Ouro
-
+7,36
1.561,90
Petróleo Brent
-3,43%
-3,66
103,02
Paládio
-
+1,51
602,63
30/05/2012 18h54 | Thomson Reuters
  
ATIVIDADE ECONÔMICA
ÍNDICE
VALOR (%)
Desemprego (mês)
6,20%
PIB (variação em relação ao trimestre imediatamente anterior)
0,30%
PIB (variação em relação ao mesmo trimestre do ano anterior)
1,40%
Dívida pública como proporção do PIB
36,60%
Produção industrial (mês)
-0,50%
Produção industrial (ano)
-2,10%
Vendas do Varejo (mês)
0,20%
30/05/2012 18h54 | Thomson Reuters 

quarta-feira, 30 de maio de 2012

CITAÇÃO DO DIA


"Nunca se pode saber de antemão de que são capazes as pessoas, é preciso esperar, dar tempo ao tempo, o tempo é que manda, o tempo é o parceiro que está a jogar do outro lado da mesa e tem na mão todas as cartas do baralho, a nós compete-nos inventar os encartes com a vida..."  (José Saramago)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...


VENDA DE CARROS REAGE NOS FEIRÕES
O mercado de veículos reagiu no fim de semana, o primeiro após o pacote de incentivos ao setor automotivo anunciado pelo governo dia 21. Montadoras que realizaram feirões calculam aumento de até 150% nos negócios em relação aos finais de semana anteriores, apesar do descontentamento de muitos consumidores. Eles reclamaram da desvalorização do preço do usado e da exigência, ainda alta, do porcentual de entrada para o financiamento, em média de 50% do valor do bem a ser adquirido. Fiat e General Motors reportaram vendas de cerca de 2 mil veículos cada uma no sábado e no domingo, em São Paulo. Nos finais de semana anteriores, as vendas estavam na faixa de 800 unidades. O gerente de varejo da Ford, Ivan Nakano, disse que as vendas da marca em todo o País "mais que dobraram neste primeiro final de semana, quando comparadas à média observada nos finais de semana anteriores". Segundo ele, além da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), "a Ford contou com descontos adicionais, crédito facilitado e taxas atrativas, o que contribuiu para o bom desempenho". A Volkswagen registrou aumento de 30% nas vendas na Grande São Paulo, em comparação com o último feirão realizado nos dias 14 e 15 de abril. O governo zerou o IPI dos automóveis com motor 1.0 e reduziu à metade o imposto para modelos de maior potência. As montadoras se comprometeram em reduzir a tabela de preços em mais 2,5%. Na soma, as empresas informaram que houve queda de 7% a 10% do preço final dos automóveis. Já os bancos se comprometeram em reduzir o valor da entrada, os juros e a alongaram prazos de pagamento, o que não foi verificado em muitas lojas. Vendas preliminares. A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) só deve divulgar um balanço do impacto das medidas nas vendas de veículos no anúncio mensal da indústria automotiva, previsto para a próxima semana. Números preliminares com base em dados do Denatran mostram que foram licenciados em todo o País, até sexta-feira, 240,4 mil veículos, dos quais 229,7 mil são automóveis e comerciais leves. O número, que ainda não inclui os resultados do fim de semana, representa aumento de 2,5% em relação a igual período de abril, que teve um dia útil a mais. Na comparação com maio do ano passado, com registros de 265,4 mil veículos até o dia 27, houve queda de 9,4%. Para o consultor da Carcon Automotive, Julian Semple, as vendas de carros novos deverão crescer 10% ante abril. Segundo ele, até ontem a média diária de emplacamentos estava ainda 2% acima da média diária de abril. "Mesmo que o governo não tivesse tomado nenhuma medida, as vendas de veículos em maio seriam superiores às de abril. A queda no mês passado tem muito do total de dias úteis, que foram 20 contra 22 em maio", disse Semple.

NOVO NAVIO DE PESQUISA DA USP CHEGA PARA REVOLUCIONAR AS CIÊNCIAS NO MAR
Mais de 8 mil quilômetros de costa. Quatro milhões e meio de quilômetros quadrados de território marinho. Enormes reservatórios naturais de carbono. Um leito oceânico recheado de petróleo, gás e outras riquezas minerais. A maior biodiversidade de espécies marinhas do Atlântico Sul. E praticamente nenhum navio de pesquisa civil de grande porte para estudar isso tudo. Esta tem sido a realidade das ciências oceanográficas no Brasil, em especial nos últimos três anos. O lendário navio de pesquisa Professor W. Besnard, do Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (IO-USP), está inoperante desde dezembro de 2008, por causa de um incêndio, e já pode ser considerado aposentado, deixando centenas de pesquisadores encalhados em terra firme ou limitados a fazer estudos próximos da costa, em embarcações menores. Uma realidade que está prestes a mudar, com a chegada ao Brasil do Alpha Crucis, um navio oceanográfico de 64 metros e 972 toneladas, comprado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e pela USP. A embarcação, que já está no Porto de Santos (SP), aguardando os últimos desembaraços legais, tem capacidade para acomodar mais de 20 pesquisadores e autonomia para passar até 70 dias no mar, sem reabastecimento. Bem mais do que o Besnard, de 49 metros, que tinha capacidade para 15 pesquisadores e autonomia de 15 dias. Sem falar nos muitos avanços tecnológicos do Alpha Crucis, que permitirão aos cientistas explorar águas mais distantes e mais profundas do que nunca. "Para nós é um momento de glória", diz o diretor do IO-USP, Michel Mahiques. "Um momento de mudança de paradigma, de uma oceanografia quase que exclusivamente costeira para uma oceanografia de grande escala". "Até agora só fazíamos oceanografia doméstica, perto da costa. Agora temos um navio que pode ir até a África se quisermos", diz o biólogo Frederico Brandini, pesquisador do IO-USP, que coordenará o primeiro cruzeiro científico do Alpha Crucis, previsto para o início do segundo semestre. "Podemos fazer pesquisa de caráter internacional". Com o Besnard, já desgastado por mais de 40 anos de uso e mais de 600 mil km navegados, as expedições de pesquisa ficavam limitadas a uma faixa de segurança de 200 milhas náuticas (370 km) da costa. Para ir mais longe do que isso, só pleiteando tempo em navios da Marinha ou alugando navios privados - a preços na faixa de US$ 30 mil/dia. No Alpha Crucis, o custo de operação diária será de US$ 4 mil a US$ 5 mil. O navio, de 39 anos, foi construído especificamente para pesquisa oceanográfica, com quatro laboratórios (um geral, um "molhado", um de química e um de aquisição de dados), vários guinchos e guindastes (essenciais para pesquisas em alto-mar, que envolvem o uso de cabos e equipamentos pesados), e uma série de instrumentos científicos de última geração, incluindo sondas capazes de mapear o leito e o subsolo oceânico. Outro diferencial importante é o sistema de posicionamento dinâmico, que mantém o navio parado sobre um ponto determinado via GPS, utilizando uma combinação de lemes e hélices de proa e popa para compensar o deslocamento criado pelas correntes e pelo vento. "Vamos ampliar em muito nossa capacidade logística e tecnológica. Poderemos fazer muitas coisas que não eram possíveis com o Besnard", diz o oceanógrafo Belmiro Mendes de Castro Filho, do IO-USP. "Será um salto qualitativo tremendo". Abaixo do Besnard, o maior navio de pesquisa do País era o Atlântico Sul, da Universidade Federal do Rio Grande (Furg), com 36 metros de comprimento e autonomia de 25 dias. Construído em 1973 nos EUA, com o nome Moana Wave, o Alpha Crucis pertenceu por muito tempo à Universidade do Havaí e, mais recentemente, à Noaa, sigla da renomada instituição federal de pesquisa oceanográfica e atmosférica americana. Rebatizado com o nome da estrela que representa São Paulo na bandeira brasileira, ele agora é da USP, mas estará a serviço de toda a comunidade científica nacional. Seleção. Pesquisadores de outros Estados e instituições poderão submeter projetos para uso da embarcação, que serão avaliados por um comitê gestor e selecionados com base em critérios de mérito científico e disponibilidade. "Interessados não vão faltar", garante o diretor do IO-USP. "Como estávamos sem navio, há um demanda reprimida muito grande. A hora que abrirmos a porta, vai chover pedido". O que é bom, pois a compra do navio veio acompanhada de grandes expectativas. "Quando o professor Michel nos disse que precisava comprar um navio, eu disse: 'A gente compra, mas vocês vão ter de produzir muita ciência para justificar isso'", contou o diretor científico da Fapesp, Carlos Henrique de Brito Cruz. O navio custou US$ 4 milhões, pagos pela Fapesp, mais uma reforma de US$ 7 milhões, divididos entre a Fapesp (US$ 3 milhões) e a USP (US$ 4 milhões), para adequar a embarcação às normas internacionais de segurança, renovar a infraestrutura e instalar equipamentos. "Ainda assim saiu barato", garante Mahiques, que passou mais de três anos pesquisando navios e estaleiros ao redor do mundo para preencher o vácuo deixado pelo Besnard. Construir uma embarcação do zero nesses moldes, segundo ele, custaria no mínimo US$ 30 milhões. Uma cerimônia de inauguração do Alpha Crucis (que já fez uma viagem de 45 dias para chegar a Santos, saindo de Seattle, nos EUA, onde foi reformado) está marcada para quarta-feira. Em setembro deverá chegar a Santos, também, um segundo navio oceanográfico, o Alpha Delphini, com 26 metros de comprimento e autonomia de até 15 dias. Este, novinho em folha, construído do zero em um estaleiro de Fortaleza, por R$ 4,75 milhões (R$ 4 milhões da Fapesp e R$ 750 mil, da USP). A aquisição dos barcos deixou a comunidade científica entusiasmada. "Oceanografia sem barco não é oceanografia", resume o diretor do Centro de Biologia Marinha da USP (Cebimar), José Roberto Cunha da Silva.

NOVO SUPERVÍRUS ESPIÃO É DESCOBERTO
Especialistas em segurança descobriram um vírus de computador de alto nível de sofisticação no Irã e no Oriente Médio que acreditam ter sido implantado há pelo menos cinco anos com o objetivo de realizar espionagem patrocinada pelo Estado. Evidências sugerem que o vírus, que foi nomeado “Flame”, pode ter sido construído em nome da mesma nação ou nações que encomendaram o vírus Stuxnet, que atacou o programa nuclear iraniano em 2010, segundo o Kaspersky Lab, que assumiu a responsabilidade pela descoberta do vírus. Os pesquisadores do Kaspersky disseram que ainda não determinaram se o Flame tinha uma missão, como o Stuxnet, e se negaram a revelar quem eles acreditam ter desenvolvido o vírus. A empresa de segurança disse que o vírus pode ter sido criado em 2010 e continua a ser desenvolvido atualmente. O Flame é um trojan que captura imagens de tela quando aplicativos como de IM ou chat são acionados, ativa microfone para arquivar conversas, além de gravar o que é digitado e monitorar o seu tráfego na web. Todos os dados roubados são então enviados para servidores que guardam a informação. O Irã acusou os Estados Unidos e Israel de terem implantado o Stuxnet. Os técnicos afirmaram que as descobertas fornecem novas evidências ao público que demonstram o que autoridades a par de informações confidenciais há muito sabem: nações têm usado trechos de programação como armas para promover seus interesses relacionados a segurança há muitos anos. “Essa é uma de muitas, muitas campanhas que acontecem o tempo todo e nunca chegam ao conhecimento do público”, disse o especialista em cibersegurança do Austrian Institute for International Affairs, Alexander Klimburg. Uma agência de cibersegurança iraniana disse em seu site nesta segunda-feira que o Flame é “intimamente relacionado” ao Stuxnet, o primeiro exemplo publicamente conhecido de uma “arma virtual”.

CINEMA NO BLOG


PIAF - UM HINO AO AMOR (2007)
La môme



Ficha Técnica
Outros Títulos:
La vie en rose (UK, Itália, Alemanha, Holanda)
Edith Piaf (República Tcheca)
La vida en rosa (Espanha)
Pais:
França, Reino Unido, República Tcheca
Gênero:
Biográfico, Drama, Música
Direção:
Olivier Dahan
Roteiro:
Olivier Dahan, Isabelle Sobelman
Produção:
Alain Goldman
Design Produção:
Olivier Raoux
Música Original:
Christopher Gunning
Direção Musical:
Edouard Dubois
Fotografia:
Tetsuo Nagata
Edição:
Richard Marizy
Direção de Arte:
Beata Brendtnerovà, Mick Lanaro, Laure Lepelley
Figurino:
Marit Allen
Guarda-Roupa:
David Crossma, Céline Collobert, Alice Kheilova
Maquiagem:
Gabriela Polakova, Didier Lavergne
Efeitos Sonoros:
Laurent Zeilig, Gael Nicolas, Gréggory Poncelet e outros
Efeitos Especiais:
Jan Holub, Pavel Policar, Miroslav Miclik
Efeitos Visuais:
Hugh Welchman, Lucy Ainsworth-Taylor, Seb Caudron e outros

ELENCO
Marion Cotillard
Edith Piaf
Sylvie Testud
Simone 'Mômone' Berteaut
Pascal Greggory
Louis Barrier
Emmanuelle Seigner
Titine
Gérard Depardieu
Louis Leplée
Jean-Paul Rouve
Louis Gassion, pai de Piaf
Clotilde Courau
Anetta Giovanna Maillard, mãe de Piaf
Catherine Allégret
Louise
Garrick Hagon
Médico americano
Caroline Sihol
Marlene Dietrich
Elisabeth Commelin
Danièlle Bonel
Chantal Bronner
Josette
Caroline Raynaud
Ginou
Manon Chevallier
Edith, aos 5 anos
Pauline Burlet
Edith, aos 10 anos
Marc Barbé
Raymond Asso
Marc Gannot
Marc Bonel
Jean-Paul Muel
Bruno Coquatrix
Valérie Moreau
Jeanne
André Penvern
Jacques Canetti
Marie-Armelle Deguy
Marguerite Monnot
Nathalie Dorval
Mireille
Laurent Olmedo
Jacques Pills
Farida Amrouche
Emma 'Aïcha' Saïd, avó de Piaf
Nathalie Dahan
Yvonne
Laura Stainkrycer
Garota do Bordel
Lucie Brezovska
Garota do Bordel
Vera Havelková
Garota do Bordel
Alban Casterman
Charles Aznavour
Agathe Bodin
Suzanne
Maureen Demidof
Marcelle, filha de Piaf
Paulina Bakarova
Jornalista americana
Christophe Odent
Dr. Bernay
Harry Hadden-Paton
Doug Davis

Prêmios
Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA:
Oscar de Melhor Atriz (Marion Cotillard)
Oscar de Melhor Maquiagem
Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra:
Prêmio de Melhor Atriz (Marion Cotillard)
Prêmio de Melhor Figurino
Prêmio de Melhor Maquiagem
Prêmio de Melhor Música
Prêmios Leão Tcheco, Praga, República Tcheca:
Leão Tcheco de Melhor Atriz (Marion Cotillard)
Leão Tcheco de Melhor Música
Leão Tcheco de Melhores Efeitos Sonoros
Prêmios César – Academia das Artes do Cinema, França:
César de Melhor Atriz (Marion Cotillard)
César de Melhor Fotografia
César de Melhor Figurino
César de Melhor Design de Produção
César de Melhor Som
Prêmios Globo de Ouro, EUA:
Prêmio de Melhor Atriz em um Musical ou Comédia (Marion Cotillard)
Círculo de Críticos de Cinema de Londres, Inglaterra:
Prêmio Atriz do Ano (Marion Cotillard)
Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, EUA:
Prêmio de Melhor Atriz (Marion Cotillard)

Indicações
Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA:
Oscar de Melhor Figurino
Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra:
Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira
Prêmio de Melhor Design de Produção
Prêmio de Melhor Música
Festival Internacional de Berlim, Alemanha:
Prêmio Urso de Ouro (Olivier Dahan)
Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França:
César de Melhor Filme Francês (Olivier Dahan)
César de Melhor Direção (Olivier Dahan)
César de Melhor Edição
César de Melhor Roteiro Original
César de Melhor Ator Coadjuvante (Pascal Greggory)
César de Melhor Atriz Coadjuvante (Sylvie Testud)
Academia do Cinema Europeu:
Prêmio do Público de Melhor Filme (Olivier Dahan)
Prix d'Excellence (pela maquiagem)
Prêmio de Melhor Atriz (Marion Cotillard)

Videoclipes


Sinopse
Nascida em uma família pobre, onde sua mãe, Anetta Giovanna Maillard, ganhava alguns trocados como cantora de rua, e seu pai, Louis Gassion, conseguia algum dinheiro como contorcionista, também se apresentando em locais públicos, a pequena Edith Giovanna Gassion teve uma infância difícil e complicada. Sentindo-se sem condições de criá-la, Anetta a entrega à sua mãe, Emma Saïd. Esta, que só vive para a bebida, não oferece à neta as menores condições de higiene. Ao ver a filha coberta de eczema, Louis Gassion a leva para viver com a avó paterna em um bordel na Normandia, enquanto ele parte para servir ao exército francês. Nesse ambiente, a garotinha começa a compreender a ambigüidade da vida, já que, em contrapartida a esse local de moral duvidosa, passa a receber muita ternura por parte de uma das prostitutas, Titine, que nutre por ela uma verdadeira adoração. Aos sete anos, acometida de uma forte ceratite, Edith perde sua visão. Titine desdobra-se em seus cuidados, sendo inclusive ameaçada de ser expulsa do bordel. Contando com a ajuda de suas colegas, promove uma peregrinação à Lisieux, onde faz uma promessa à Santa Thérèse pela cura da garota. Como que por milagre, Edith tem sua visão completamente restabelecida cerca de dez dias depois. Em 1929, seu pai volta a procurá-la e retoma sua vida artística como contorcionista. Edith o ajuda nas ruas, ocasião em que descobre sua vocação para cantora. Três anos depois, aos 17 anos e, já separada do pai, ela passa a ganhar a vida como cantora de rua em Paris, oportunidade em que se apaixona por Louis Dupont, com quem tem uma filha, Marcelle, que viria a morrer dois anos depois de meningite. Em 1935, é descoberta na área de Pigalle por Louis Leplée, proprietário do "Le Gerny", uma casa noturna bastante freqüentada. É ele quem lhe dá seu primeiro nome artístico: "La Môme Piaf", que na gíria francesa significa "O Pequeno Pardal", devido à sua baixa estatura. A grande campanha publicitária promovida por Leplée faz com que sua estréia seja marcada pela presença de várias celebridades da época. Na ocasião, ela conhece a compositora Marguerite Monnot, que viria a se tornar sua parceira e fiel amiga por toda sua vida. No ano seguinte, sua ascendente carreira é ameaçada quando do assassinato de Leplée por bandidos ligados às drogas e que, no passado, haviam tido alguma ligação com ela. Uma vez inocentada, Edith recorre a Raymond Asso para reerguer sua imagem, oportunidade em que ele muda seu nome artístico para "Edith Piaf". Em março de 1937, estréia sua carreira como cantora de música de salão, e se torna a grande vedete da "Chanson Française", adorada pelo público e difundida pelo rádio. Ela começa a conhecer pessoas famosas e a receber convites para se apresentar em peças teatrais escritas especialmente para ela. Por outro lado, Edith começa a escrever canções, sendo auxiliada por compositores na parte musical. Em 1945, ela escreve "La Vie en Rose", que viria a se tornar a mais célebre de suas canções. Com o término da 2ª Guerra Mundial, ela se torna internacionalmente famosa, excursionando pela Europa, Estados Unidos e América do Sul. A turnê pelos Estados Unidos não é bem-sucedida mas, após um jornal nova-iorquino fazer referências altamente elogiosas ao seu desempenho, é contratada pelo "Versailles", um cabaré elegante de Manhattan. Celebridades do mundo do cinema comparecem em grande número, ocasião em que é apresentada à Marlene Dietrich, que viria a se tornar sua amiga pelo resto de sua vida. Na mesma noite, conhece o pugilista marroquino Marcel Cerdan, por quem se apaixona perdidamente. Marcel era casado com filhos e residia com a família em Casablanca. A ele, ela dedica um de seus mais belos clássicos: "L' Hymne à l'Amour". Em outubro de 1949, sentindo-se sozinha, ela telefona a Marcel e lhe pede que venha visitá-la. Poucas horas antes de subir ao palco, entretanto, recebe a comunicação de que o avião em que o pugilista viajava, havia caído nos Açores. Mesmo assim, não cancela sua apresentação, dedicando aquela noite ao grande amor de sua vida. Ao final da quinta música, Piaf desmaia no palco. À insuportável dor da perda, junta-se uma intensa dor física, provocada pelo reumatismo, que se manifestava pela primeira vez. Incapacitados de remover a causa, aos médicos resta a alternativa de combater os efeitos. Prescrevem-lhe morfina, o mais poderoso analgésico disponível na época. Em 1951, Edith ajuda a decolar a carreira de Charles Aznavour, levando-o a realizar uma turnê pelos Estados Unidos e pela França. No ano seguinte, ela se casa com o cantor Jacques Pills, de quem se divorciaria quatro anos depois. Face à dependência de morfina, Pills a faz se submeter a um tratamento de reabilitação. Em 1958, ao sofrer um grave acidente de carro, sua saúde piora e sua dependência de morfina aumenta. Três anos depois, a pedido de Bruno Coquatrix, Edith Piaf faz no "Olympia de Paris", ameaçado de fechamento por problemas financeiros, uma série de shows entre os mais memoráveis de sua carreira, ocasião em que lança sua canção "Non, Je ne Regrette Rien". Em 1962, doente e drogada, ela se casa com Théo Sarapo, um cantor de origem grega, 20 anos mais novo. Nessa época, com a saúde bastante abalada, faz sua última grande apresentação no "Olympia de Paris", casa de espetáculos de sua predileção. Em 1963, após gravar seu último disco, Piaf refugia-se na Riviera Francesa, onde vem a falecer em 10 de outubro daquele ano.

Comentários
"Piaf - Um Hino ao Amor" é um filme maravilhoso. Realizado pelo cineasta Olivier Dahan, que também participou da elaboração do roteiro, o filme narra a extraordinária vida de um dos maiores ícones da música francesa, Edith Piaf, nascida Edith Giovanna Gassion, desde sua difícil infância na Normandia até sua morte aos 47 anos. Ao retratar uma vida marcada por dramas e tragédias, Dahan nos oferece um trabalho bastante comovente, chamando-me atenção o fato de, ao se acenderem as luzes do cinema após o término da sessão, a platéia permanecer sentada em silêncio, como que sentindo uma certa dificuldade de se desligar do clima em que permanecera por quase duas horas e meia. O roteiro exagera no uso de flashbacks, misturando as diversas fases da vida de Piaf, podendo confundir espectadores menos atentos. Acredito que algumas seqüências poderiam ter sido dispensadas sem trazer qualquer prejuízo à narrativa, além de diminuir um pouco o tempo de projeção. O grande destaque de "Piaf - Um Hino ao Amor", chama-se Marion Cotillard. Essa atriz francesa relativamente pouco conhecida, dá um verdadeiro show de interpretação ao personificar esse grande mito. Se fosse uma americana, o Oscar de Melhor Atriz já estaria assegurado. De qualquer forma, acredito que ela tem chances de ser agraciada com a famosa estatueta em sua próxima edição de 2008. Emmanuelle Seigner e Pauline Burlet, esta última no papel de Piaf adolescente, também merecem ser mencionadas. O filme conta ainda com um grande número de sucessos de Piaf como, por exemplo, "L'Hymne à L'Amour", "Non, Je ne Regrette Rien" e "La Vie en Rose". Enfim, "Piaf - Um Hino ao Amor" é um filme imperdível.