Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

terça-feira, 31 de março de 2015

CITAÇÃO DO DIA

“Mais poderosa que todos os slogans de sucesso escritos por mão humana é a compreensão de todo homem que ele tem apenas um chefe. Que este chefe é um homem — ele — ele próprio.” (Gabriel Heatter)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

MERCADO PREVÊ QUEDA DE 1% DO PIB EM 2015 E INFLAÇÃO DE 8,13%
Com a informação de que o Banco Central projeta uma retração de 0,5% da economia este ano, pela primeira vez o mercado financeiro espera que o Produto Interno Bruto (PIB) de 2015 fique negativo em 1%. No Relatório de Mercado Focus de uma semana antes, a previsão era de -0,83%. Esta foi a décima terceira revisão seguida para baixo desse indicador. O mercado piorou a projeção para a indústria. Para a produção industrial, a mediana das estimativas passou de uma queda de 2,19% para este ano para baixa de 2,42%. No caso da inflação, as projeções também se deterioraram. Depois que o BC divulgou que espera uma inflação de 7,9% este ano, o mercado financeiro apresentou leve revisão, de 8,12% para 8,13% em suas estimativas para o IPCA do período. Há um mês, a mediana das previsões para o indicador estava em 7,47%. Esta é a décima terceira semana consecutiva em que há alta das projeções para esse indicador. Para 2016, a expectativa segue um pouco mais otimista, apesar de também ter sido diminuída. A previsão de alta de 1,20% foi substituída pela de 1,05%. As apostas de expansão para a indústria foram mantidas em 1,68%. No caso da inflação, a projeção para o IPCA foi reduzida de 5,61% para 5,60%. Dividido na semana passada sobre o rumo que o Comitê de Política Monetária (Copom) dará à taxa básica de juros no mês que vem, o mercado financeiro agora chegou ao consenso de que haverá uma elevação da Selic dos atuais 12,75% ao ano para 13,25%. Para o fim deste ano, a mediana das previsões foi ampliada de 13% para 13,25%. Há um mês, a estimativa era de que a Selic encerrasse 2015 já em 13% ao ano. Para o fim de 2016, a mediana das projeções foi mantida em 11,50% ao ano de uma semana para outra. Esta é a décima terceira semana consecutiva que a taxa está estacionada neste patamar. As previsões para o comportamento do câmbio neste e no próximo ano voltaram a mostrar variações expressivas no Relatório de Mercado Focus. De acordo com o documento, a mediana das estimativas para o dólar no encerramento de 2015 passou de R$ 3,15 para R$ 3,20. Quatro edições anteriores da Focus, a mediana estava em R$ 2,91. Com a elevação, a taxa média prevista para este ano subiu de R$ 3,10 para R$ 3,12. Já para 2016, a cotação final subiu de R$ 3,20 para R$ 3,26 de uma semana para outra - estava em R$ 3 quatro levantamentos antes.

PESQUISADORES DESENVOLVEM NOVOS MEIOS DE MEDIR PRESSÃO INTRACRANIANA
Pesquisadores liderados por Sérgio Mascarenhas, coordenador de Projetos do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo em São Carlos (SP), desenvolveram métodos de medição da pressão intracraniana que dispensam cirurgias e negociam a aplicação dos modelos em grandes hospitais do país. Tudo começou em 2005. “Era possível diagnosticar pelos sintomas – como descontrole urinário e andar arrastado – ou pela tomografia. Chegaram à conclusão de que eu tinha a doença e a única terapia possível era colocar uma válvula na minha cabeça com um catéter para a liberação do líquido em excesso no cérebro no abdômen”, contou Mascarenhas, que transformou o diagnóstico de hidrocefalia de pressão normal em inspiração para inovações na medicina. Ele e a equipe interdisciplinar composta por 40 pessoas desenvolveram novas formas de acompanhar a pressão intracraniana e já patentearam dois equipamentos - o terceiro está a caminho.  “Encontramos uma maneira minimamente invasiva de medir. O dispositivo é colado em cima do osso e emite sinais elétricos quando há deformações, apontando a mudança da pressão”, explicou Mascarenhas sobre o primeiro método, considerado minimamente invasivo. No segundo, não invasivo, um sistema acoplado a uma espécie de bandana é mantido em contato com a cabeça do paciente e compara as variações da pressão interna por meio das deformações da superfície do crânio, apontando anormalidades. Os modelos foram testados na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, na Universidade do Porto, em Portugal, na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e no Instituto de Física de São Carlos (IFSC-USP) e apontaram avanços principalmente no monitoramento de pessoas com traumatismo craniano, epilepsia e hipertensão na gravidez. “Na pré-eclâmpsia, a pressão arterial sobe, elevando a pressão intracraniana”, explicou. Os equipamentos possuem autorizações para pesquisas, mas Mascarenhas afirmou que a expectativa é de que nos próximos meses a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emita a certificação para uso geral. “Estamos conversando com o Hospital das Clínicas de São Paulo e com o Hospital Albert Einstein”, adiantou. Contratos com o Ministério da Saúde para uso em ambulâncias, por exemplo, também não estão descartados. “Há o interesse, tanto que o ministério, através da Organização Pan-Americana da Saúde, vem financiando as pesquisas há quatro anos”.  O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e a Finep também apoiam os estudos. “Os métodos são 50 vezes mais baratos do que dispositivos desenvolvidos no exterior, além de terem possibilidade de manutenção aqui no país. Estamos em negociação com empresas que possam fazer a distribuição”, finalizou Mascarenhas.

APPS FINANCEIROS AMEAÇAM AGÊNCIAS E PODEM SER CANAL Nº 1 DE BANCOS
"Eu só vou a banco atualmente para fazer depósito." Pagar contas, checar o saldo, financiamento. Tudo pelo celular. Quem dá a receita é o empresário Iberê Castro, de 65 anos. “Outra situação que me leva a banco é quando volta um cheque sem fundo de um cliente.” Aí, não tem jeito. É correr para o banco. Usuário assíduo do aplicativo GuiaBolso, que ajuda a acompanhar de perto o orçamento doméstico, ele é um dos brasileiros que têm fugido das agências bancárias e tem forçado as atividades financeiras a migrar da rua para as telas de celulares. E os bancos estão surfando nessa onda. (O Brasil foi o país mais em que o download de aplicativos mais cresceu no terceiro trimestre de 2014. Dobrou em relação ao ano passado, segundo a consultoria para tecnologia móvel App Annie. Segundo o Ibope Media, 34% dos internautas brasileiros instalam pelo menos um aplicativo por semana). O app, conferido pelo menos cinco vezes ao dia por Castro, disparou na preferência dos brasileiros em 2014 e dominou a lista dos mais baixados da App Store por alguns meses. O administrador de empresas começou a utilizá-lo neste ano. Ele conta que o controle das contas domésticas é feito desde os 19 anos. Primeiro em agendas de papel, daí a planilhas eletrônicas, processadores de dados até chegar aos aplicativos. "Eu ando mais devagar do que a molecada. O pessoal mais novo tem essa coisa do aplicativo, dos celulares e tudo mais na própria geração. Eu, não, venho me adaptando, então talvez eu tenha descoberto mais tarde as possibilidades do celular. Descobri o celular há três anos, não como telefone, mas como alternativa para substituir em boa parte do tempo o computador”, conta. A automatização das receitas e das despesas foi o que encantou Castro no GuiaBolso. “Não precisa chegar no fim do mês e lançar cada uma das despesas”, diz, acrescentando que o app “poupou a programação da planilha, os lançamentos que eu tinha de fazer individualmente”. O aplicativo acessa os dados da conta bancário apenas para categorias em uma plataforma acessível os gastos realizados e informar detalhes do saldo. A agilidade foi responsável para o app deixar para trás serviços para smartphone dos mais populares bancos brasileiros. Isso não quer dizer, porém, que os apps das instituições financeiras estão às moscas. Pelo contrário. Ao todo, informaram ao G1 contar com 22,1 milhões de clientes: Banco do Brasil (9 milhões), Bradesco (6,2 milhões), Itaú-Unibanco (3 milhões), Caixa Econômica Federal (1,7 milhão),Santander (1,7 milhão) e HSBC (550 mil). Os bancos já perceberam que clientes como o empresário Castro não são uma exceção. São a regra. E uma regra cada vez mais abrangente. No HBSC, as transações via app, cerca de 200 milhões por ano, já são três vezes o número das realizadas nas agências. A expectativa é que seja o maior canal do banco já em 2015, após superar no meio do ano o internet banking, que por ora faz 312 milhões de operações por ano. De acordo com o BB, ainda que a consulta de saldo e extratos ainda dominem as ações dos clientes, aumenta o número de outras operações mais complexas e que requerem a movimentação da conta, como pagamento, transferência de valores, recarga de celular pré-pago e até investimentos e contratação de crédito. No Itaú-Unibanco, maior banco privado do Brasil, os aplicativos já são o quarto canal de atendimento do banco. Em 2014, realizou 11% de todas as transações, à frente do canal telefônico e próximo das operações feitas dentro das agências bancárias, responsáveis por 13%. As instituições criam suas próprias armas para competir com serviços ágeis como o GuiaBolso e alienígenas sedentos para entrar nesse mundo, como Google e Facebook, além de ameaças já estabelecidas como Snapchat e Facebook, que possuem serviços de transferência de dinheiro. A mais emblemática dessas peças de artilharia é o “Itaú tokpag”. Por meio dele, é possível enviar dinheiro a um dos contatos da agenda telefônica. “Funciona de forma parecida com um WhatsApp, mas em vez de troca de mensagens, é realizada transferência de dinheiro entre pessoas que possuem conta no Itaú”, informa o banco. O HSBC promete para breve a incorporação de biometria ao app, além da captura automática de cheques e de um módulo de gestão financeira. Já a Caixa vai expandir seus serviços para o Windows Phone. Recentemente, o Santander atualizou seu app para poder ser acessado apenas com o CPF. Os apps financeiros avançam, mas os hábitos de cuidar das finanças têm também de seguir adiante. O empresário Iberê Castro diz que usa o app por “preocupação em manter as contas equilibradas”. “Eu tenho quatro filhos e vivo insistindo para que façam e nenhum deles faz”, brinca.

VOCÊ SABIA

MULHER PODE AMAMENTAR, MESMO SEM TER ENGRAVIDADO 

Incrível não é mesmo? Mas é verdade.
São muitas as histórias de mamíferos que adotaram outros animais filhotes que não são de sua espécie como por exemplo cadelas que amamentaram gatos e até onças!
Mas, o que pouca gente sabe é que, o mesmo pode acontecer com qualquer mulher, que não precisa necessariamente ter engravidado.
Recentemente médicos descobriram que mães adotivas podem, sim, amamentar da forma tradicional. A constatação dos especialistas começa a ganhar os lares de famílias adotivas e se transformar numa recomendação de saúde para as mães que estão dispostas a adotar.
A produção de leite espantosa funciona assim: o bebê suga seu peito e, quanto mais suga, mais leite aparece.
Quando o bebê mama, é como se um carteiro levasse uma mensagem para a cabeça da mãe avisando que lá embaixo tem gente precisando de leite. Se a criança reclama – “Mãe, aqui não está saindo leite” -, o mensageiro transmite nova ordem ao cérebro materno – “Solte o leite” – no que é logo obedecido.
Mesmo que não conheçam a mãe biológica dos filhos do coração, todas as mães adotivas podem tentar amamentar, recomenda a pesquisadora do Instituto de Saúde de São Paulo e uma das principais referências em amamentação do País, Marina Ferreira Réa.
“Não dá para atestar que todas terão sucesso. Se o bebê chega com mais de quatro meses, por exemplo, o processo é ainda mais lento, mas não impossível”, alerta a especialista.
Os passos do aleitamento da mãe adotiva:
·     Se vai adotar uma criança e deseja amamentá-la tradicionalmente, informe isso ao seu médico;
·    O processo é lento e requer empenho. Faça massagens nos seios, tome sol com eles descobertos (fora dos horários de sol intenso) e também se informe sobre os aparelhos que fazem o bombeamento das mamas com foco na estimulação;
·    Com orientação médica, há a possibilidade de usar medicações que estimulem a produção de prolactina, hormônio do leite materno;
·     Nos bancos de leite, são mais de 150 espalhados pelo País, os profissionais são habilitados a dar informações sobre isso;
·   Ao iniciar a amamentação, é possível que o bebê precise de complemento na alimentação. Uma técnica é usar uma sonda bem fininha. Coloque uma ponta das sondas no copo e a outra próxima ao bico do seu seio. O nenê ao mesmo tempo que suga o peito, recebe o leite do copinho. Com o tempo e estímulo, ele vai passar a beber menos do copo e mais do peito.


Fonte: Drauzio Varela e IG Delas

BIOGRAFIA DE CELEBRIDADES

BIOGRAFIA DE HEDY LAMARR
Nome Batismo:
Hedwig Eva Maria Kiesler
Nascimento:
09 Nov 1914
Local Nascimento:
Vienna, Áustria
Falecimento:
19 Jan 2000
Local Falecimento:
Orlando, Flórida, EUA
Causa Falecimento:
Causas naturais
Altura:
1.70 m
Filha de um rico empresário austríaco e considerada a mais bela atriz dos anos 30/40, Hedy Lamarr estudou teatro em Berlim com o diretor Max Reinhardt.  No cinema, usando o nome Hedy Kiesler, estreou em 1930 com o filme alemão "Geld auf der Straße", seguindo-se três outras produções alemães em 1931 e 1932, até estrelar "Êxtase" em 1933, uma co-produção tcheco-austríaca, filme que chamou a atenção do mundo ao aparecer nua e simulando um orgasmo.  Esse verdadeiro escândalo fez com que seu marido, Fritz Mandl, um próspero fabricante de armas, a espancasse, além de gastar mais de US$ 300 mil na tentativa de comprar todas as cópias do filme, a fim de incinerá-las.  Na época, o casal morava no famoso Castelo de Salzburg onde, anos mais tarde, o filme "A Noviça Rebelde" foi rodado. A notoriedade alcançada a levou a assinar um contrato com a Metro-Goldwyn-Mayer, ocasião em que mudou o nome para Hedy Lamarr.  Divorciada de Mandl em 1937, sua estréia em Hollywood deu-se no ano seguinte com o filme de John Cromwell, "Algiers".  O sucesso e reconhecimento internacionais, ela os conseguiu após atuar em "Sansão e Dalila", um épico de Cecil B. DeMille produzido em 1949.  Ao encerrar sua carreira no cinema, em 1958, Hedy Lamarr havia atuado em mais de trinta filmes.
Juntamente com George Antheil, patenteou um método de telecomunicações através do qual conseguia-se guiar torpedos através de ondas de rádio.  Tal método, usado durante a 2ª Guerra Mundial,  recebeu a patente de nº 2.292.387 dos EUA, em 11/08/1942, sob o nome "Sistema Secreto de Comunicações".  Em 1997, ela recebeu um prêmio da Electronic Frontier Foundation por seu trabalho pioneiro na área de telecomunicações que, posteriormente, serviria de base para o desenvolvimento da telefonia celular.
Além de Fritz Mandl, de quem se divorciou em 1937, Hedy Lamarr casou-se ainda com Gene Markey (05/03/1939 a 03/10/1941), John Loder (27/05/1943 a 17/07/1947), Teddy Stauffer (12/06/1951 a 1952), W. Howard Lee, um magnata do petróleo (22/12/1953 a 1960), e Lewis Bois (04/03/1963 a 21/06/1965).
Em sua autobiografia publicada em 1966, Hedy Lamarr dizia que considerava sua beleza, tão aclamada mundialmente, uma verdadeira maldição.  Nos últimos anos de sua vida, a atriz tornou-se uma pessoa amargurada e solitária, apesar de ter tido três filhos de seus casamentos com Markey e Loder. 

CIRCULA NA INTERNET


IMAGEM DO DIA

Uma bela imagem na Praia do Cumbuco - CE - Brasil, clicada pelo competente Alex Uchôa.

PIADA DO BLOG

VAMOS COMER UM CARRETEIRO?
Um gaúcho de 1,90 m, olhos azuis, bigodão, dirigindo uma carreta de 18 de pneus nas terras nordestinas quando resolve dar uma estacionada na BR 116 nas proximidades de Jaguaribe – CE para descansar e preparar o seu almoço, e começa a organizar um suculento “Arroz Carreteiro”, e ao mexer o arroz na panela fala cantando:
- Ah! Que este carreteiro está ficando cada vez mais cheiroso e vou ter que comer sozinho e não aparece um cearense para dividir comigo.
Nesse instante aparece um cearense da região do Jaguaribe montado no seu jumentinho e o gaúchão todo satisfeito fala bem alto com o característico sotaque Sulriograndense:
- Hei amigão queres comer um carreteiro?
E o cearense responde:
- Oi gaúcho, muito obrigado, mas acabei de comer a bunda de um motoqueiro aqui bem pertinho, vamos deixar para mais tarde.

TEXTO DO BLOG

VERGONHA NA CARA

“Mais difícil que explicar a corrupção de políticos, é explicar porque militantes e simpatizantes aceitam a corrupção" (Senador Cristovam Buarque)
por Rinaldo Barros*

No patropi, o modelo de sociedade pautada por um Estado patrimonialista está em crise. Não apenas pela ação dos políticos larápios e dos empresários cooptados por eles. O nosso modelo sócio- político-eleitoral entrou em parafuso por falta de sustentação axiológica, pela falência dos valores. 
Pior: a crise vem de baixo, da grande massa das famílias. Isso ficou evidente em pesquisa recente efetuada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) - http://www.oecd.org/
Essa lamentável realidade tem sua origem no decadente “modelo” educacional que temos mantido há décadas, com a conivência de professores e familiares das crianças e adolescentes, supostamente, responsáveis pelo futuro da nação brasileira.
A crise vivida pelo ensino nos seus níveis primário e secundário se estende também às universidades. Antigas ilhas de excelência, como a Universidade de São Paulo (USP), têm assistido a cenas de vandalismo e de perturbação da ordem, em intermináveis greves de caráter político, com destruição do patrimônio, consumo de tóxicos e desrespeito à sociedade.
Tudo isso estendeu-se pelo Brasil afora e reforça a convicção de que o nosso país perdeu o rumo.
Mas as coisas não param por aí. É necessário, também, reformular as nossas instituições, a fim de que o Estado passe a servir à sociedade, e não continue a ser o balcão de negócios gerido por espertalhões que privatizaram o governo em benefício próprio.
Denise D'Aurea-Tardeli, no livro “Crise de valores ou valores em crise?”, Capítulo 3, pontua que se está vivendo uma “crise de valores” nas relações pelas alterações estruturais em que vínculos comunitários estão sendo substituídos para o mundo impessoal do mercado.
Estamos deixando de ser cidadãos para sermos apenas consumidores.
Portanto, mais do que nunca, há a necessidade que a escola, a família e a mídia atuem na formação ética e de personalidade das crianças e adolescentes, incentivando-os a manterem projetos solidários que tenham como principal perspectiva o trato com respeito, responsável e solidário nas suas relações interpessoais.
Ingenuamente, talvez, ainda acho que são necessárias reformas estruturais - no pensamento hegemônico - que alterem a cultura do ter para uma cultura do ser, a fim de que seja elevado o nível moral da sociedade.
É urgente o aprofundamento de um amplo debate nacional sobre a importância da escola e dos professores na educação lato sensu, no desenvolvimento e difusão de valores éticos.
Educar não é (repito, não é) apenas um processo de instrução, para ensinar/aprender gramática, aritmética, biologia, física, química, geografia e história; é sobretudo a construção de uma sociedade cidadã.
A partir das relações professor-aluno, livros didáticos, avaliações, atividades pedagógicas, cultura, esportes e inovações tecnológicas, a escola deve possuir compromisso com processos que estimulem a autonomia, respeito a si mesmo, trabalho em equipe, solidariedade aos demais e à Natureza; trabalhar pela Paz, Justiça, Honestidade e igualdade pluricultural; formar cidadãos, enfim.
Do ponto de vista político, urge colocar sobre o tapete soluções na reformulação das nossas relações políticas, que enveredaram por esse caminho de privatização (aparelhamento) do Estado por grupos organizados (em partidos e quadrilhas), como se o único objetivo da política fosse roubar e beneficiar amigos e apaniguados.
Em segundo lugar, a reforma política deve contemplar a punição exemplar daqueles que puseram as instituições do Estado a serviço de políticas populistas demagógicas (ou inescrupulosas) que terminaram esvaziando os cofres públicos, em detrimento da realização de investimentos indispensáveis ao desenvolvimento. O prejuízo que a atual elite no poder está causando ao Brasil é incalculável.
O PT e a presidente estão identificados com o atual cenário de deterioração econômica e escândalos de corrupção.Some-se a isso um nível de popularidade em baixa e; pra piorar, Dilma não controla a Câmara nem o Senado e, com o orçamento impositivo, perdeu também uma importante moeda de troca.
No dizer do professor Marcus Melo, é uma “tempestade perfeita”.
Termino lembrando a lei proposta pelo historiador Capistrano de Abreu: “Artigo 1º - Todo brasileiro deve ter vergonha na cara. Parágrafo único: Revogam-se as disposições em contrário”.
Pergunto eu: todos já se corromperam, ou ainda tem alguém com “vergonha na cara”?

(*) Rinaldo Barros – rb@opiniaopolitica.com

INDICADORES DO BLOG

BOVESPA
O principal índice da Bovespa fechou em alta de mais de 2% na segunda-feira (30) e recuperou o patamar dos 51 mil pontos perdido na semana passada, em meio ao quadro mais positivo em bolsas no exterior, destaca a Reuters. O  Ibovespa avançou 2,29%, a 51.243 pontos. 

ÍNDICES DA BM&FBOVESPA
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
MÁXIMO (PTS)
MÍNIMO (PTS)
Ibovespa
+2,29%
51.264,67
50.099,79
IBX
+2,20%
21.224,69
20.762,84
IBX50
+2,16%
8.728,23
8.541,65
IEE
+2,36%
27.631,49
26.851,14
IGCX
+1,93%
8.082,25
7.929,77
INDX
+1,44%
13.028,53
12.822,51
ISE
+1,72%
2.443,20
2.395,20
IVBX
+2,21%
7.658,11
7.483,41
Ibovespa
+2,29%
51.264,67
50.099,79
IBX
+2,20%
21.224,69
20.762,84
30/03/2015 17h55 | Thomson Reuters 

MOEDAS
MOEDA
COMPRA (R$)
VENDA (R$)
VAR (%)
Dólar Comercial
3,2250
3,2280
-0,39%
Euro
3,4969
3,5000
-1,12%
Libra
4,7797
4,7843
-1,08%
Peso Argentino
0,3664
0,3670
-0,57%
30/03/2015 17h54 | Thomson Reuters

INFLAÇÃO
ÍNDICE
VALOR (%)
IBGE IPCA Month
1,22%
INPC IBGE (mês)
54,00%
BR IPC-Fipe Infl
FIPE
IPC-DI FGV (mês)
0,24%
IGP-DI FGV (mês)
1,10%
IGP-M FGV (mês)
0,77%
IPA-DI FGV (ano)
-4,08%
ICV Dieese (mês)
0,93%
30/03/2015 17h54 | Thomson Reuters           

JUROS E POUPANÇA
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
Selic (ano)
12,75%
CDI (ano)
10,80%
TJLP - Taxa de juros de longo prazo (trimestre)
5,50%
TR - Taxa referencial (mês)
0,0428%
Poupança (mês)
0,543%
30/03/2015 17h54 | Thomson Reuters
  
COMMODITIES
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
VARIAÇÃO (PTS)
COTAÇÃO (US$)
Prata
-
-0,26
16,69
Platina
-
-20,00
1.115,50
Petróleo WTI
+1,07%
+1,01
95,25
Ouro
-
-13,66
1.185,14
Petróleo Brent
0,00%
0,00
61,41
Paládio
-
-13,80
725,50

30/03/2015 17h54 | Thomson Reuters

segunda-feira, 30 de março de 2015

CITAÇÃO DO DIA

“Todos os bons livros se parecem: são mais reais do que se tivessem acontecido de verdade.” (Ernest Hemingway)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

RESULTADO DO PIB DE 2014 CONFIRMA PAUSA NO CRESCIMENTO ECONÔMICO, DIZ TOMBINI
O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, divulgou uma nota na sexta-feira, 27, com comentários acerca do resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de 2014, que apresentou crescimento de apenas 0,1%. Na nota, ele afirmou que o resultado confirmou a pausa no crescimento econômico. Ele ponderou, no entanto, que as revisões metodológicas do IBGE foram positivas. "A revisão das estatísticas decorrente de aprimoramentos metodológicos incorporados pelo IBGE revelou um quadro de maior expansão da atividade econômica desde 2012, como já evidenciado para 2011, de participação mais elevada do investimento na economia e de melhores indicadores de solvência do País", disse o presidente. Ainda segundo Tombini, "numa visão prospectiva", apesar da evolução desfavorável da atividade no curto prazo, os ajustes macroeconômicos em curso tendem a construir bases mais sólidas para a retomada da confiança e do crescimento econômico.
A desaceleração foi generalizada em 2014, afirmou a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis. "Em 2014, todas as atividades econômicas tiveram taxa de crescimento menor do que em 2013, com exceção da indústria extrativa", afirmou Rebeca. Segundo o IBGE, a indústria extrativa mineral avançou 8,7% no ano passado, o maior crescimento entre as 12 atividades. O segmento pesa 4% no valor adicionado total da economia. A estagnação da economia em 2014 trouxe uma série de recordes negativos. Os investimentos recuaram 4,4% no ano passado, a maior queda desde 1999. Em 2013, haviam avançado 6,1%. Segundo o IBGE, a queda dos investimentos foi o que travou o crescimento da economia. A indústria também puxou o desempenho para baixo e recuou 1,2% no ano passado - número superado apenas pelo resultado negativo de 2009, quando desabou 4,8%. Ainda entre os setores, a agricultura avançou 0,4% e o setor de serviços subiu 0,7%, o menor resultado desde 1996. Já o consumo das famílias, um dos motores da economia nos anos recentes, sofreu forte desaceleração e saiu de uma alta de 2,9% em 2013 para avanço de 0,9% no ano passado - o menor desempenho desde 2003, quando encolheu 0,7%. Segundo Rebeca Palis, do IBGE, o freio no crédito afetou o consumo das famílias.

NOVA VACINA CONTRA O EBOLA MOSTRA EFICIÊNCIA EM MACACOS
 Um grupo de cientistas desenvolveu uma nova vacina contra o Ebola, que mostrou eficácia em macacos. A vacina, que usa uma plataforma experimental inovadora, foi descrita em artigo na revista Science, publicada semana passada. A principal novidade da nova vacina é que ela emprega o vírus completo "desativado". Por conter todas as partes do vírus, deixa o sistema imunológico alerta para todas suas proteínas e genes, o que aumenta a proteção. "Em termos de eficácia, ela garante excelente proteção. E é também uma vacina muito segura", disse o coordenador do estudo, Yoshihiro Kawaoka, da Universidade de Wisconsin-Madison. Para produzir a vacina, cientistas "desligaram" um gene do vírus que comanda a fabricação da proteína, chamada VP30, que ele utiliza para se reproduzir nas células. Com isso, o vírus não produz a proteína e não consegue utilizar a seu favor a estrutura da célula hospedeira. O vírus do Ebola tem apenas oito genes e, como a maior parte dos vírus, depende da estrutura das células hospedeiras para crescer e se tornar infeccioso. Segundo os autores, a utilização do vírus incapaz de produzir a proteína VP30 permite que pesquisadores trabalhem de maneira segura com o vírus. Graças a essa ideia, os cientistas puderam desenvolver a vacina que utiliza o vírus completo. Até agora, vários testes clínicos feitos antes com o vírus completo haviam sido suspensos depois do registro de efeitos colaterais em alguns indivíduos - e as pesquisas eram limitadas pelo alto risco da manipulação do vírus completo. Para garantir a inativação do vírus, além da estratégia de "desligamento" de genes, o grupo também usou um método químico, com base em peróxido de hidrogênio. A nova vacina já havia sido testada em camundongos em estudos anteriores do mesmo grupo, mas pela primeira vez mostrou eficácia em quatro macacos que foram imunizados. A vacina ainda não foi testada em humanos. Os estudos foram realizados nos Laboratórios Rocky Mountains, do Instituto Nacional de Saúde (NIH, na sigla em inglês), no Estado de Montana (Estados Unidos). O laboratório tem nível 4 de biossegurança, que é o mais alto grau de rigor para instalações de pesquisas com patógenos. Segundo Kawaoka, os estudos foram feitos em macacos Cynomolgus, da mesma família dos macacos Rhesus. "Esse é o melhor modelo. Se você consegue proteção com esse modelo, significa que está funcionando", disse Kawaoka.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA NO CEARÁ PASSA A ATENDER DEMANDAS PELO WHATSAPP
O ouvidor geral do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), desembargador Raimundo Nonato Silva Santos passou a atender as demandas pelo Whatsapp. “O nosso objetivo é oferecer mais um suporte para aqueles que necessitem de auxílio no andamento de processos”, disse o magistrado. Além do Whatsapp, o ouvidor recebe mensagem de texto SMS (através do telefone 85 8778 1426). Além da comunicação por meio de texto, que já está disponível, o número também recebe chamadas, que podem ser feitas de segunda a sexta, das 8h às 18h. Em novembro passado, um juiz de Presidente Médici (RO) determinou que uma intimação judicial fosse feita “pelo meio menos oneroso e rápido”: telefone, e-mail ou WhatsApp. A intimação, como explicou o blog Deu nos Autos (hospedado no Link Estadão), era para que a autora da ação enviasse sua conta corrente para receber dinheiro. Os juristas do InternetLab expuseram, no entanto, o possível debate sobre o uso de uma tecnologia de comunicação que desburocratiza em um sistema regido por atos processuais delicados. “Para muitos, a formalidade do Judiciário parece apenas uma burocracia desnecessária. A discussão sobre a morosidade da Justiça, quando feita sem aprofundamento, pode contribuir para isso”, diz o post. “É preciso lembrar, entretanto, que algumas dessas formalidades não existem à toa: elas visam assegurar importantes direitos. Por exemplo, garantem que os atos processuais sejam efetivamente comunicados às partes, que então poderão se defender de acordo. Imagine se uma ação contra você pudesse correr sem que se tivesse certeza de que você sabe dela. A não comunicação de um ato processual pode prejudicar o direito de defesa”. E continuam: “O devido processo legal é uma garantia essencial das democracias e, muitas vezes, a formalidade dos atos judiciais é condição para sua existência. Nada contra a celeridade processual, pelo contrário; ela apenas não pode vir a qualquer custo.” 

COLÍRIO DO BLOG

NUELLE ALVES UM EFICAZ COLÍRIO DOSADO EM 05 GOTAS
Nuelle Alves, a Dona Candinha do programa Domingo Show da Record, é a capa e o recheio delicioso da Playboy de Fevereiro de 2015. Ela é, sem dúvida, a patroa que todo que todo mundo queria ter em casa. Linda e cheia de carisma, a modelo conquistou dezenas de fãs interpretando a personagem que é assistente de palco da atração dominical comandada por Geraldo Luís. Nuelle Alves ficou conhecida como Dona Candinha. Uma empregada sexy, de bobs e avental, encanta os telespectadores com seu jeitinho de ser. Em um momento profissional excelente, a morena natural de Jaraguá, Goiás, é dona de um sorriso único e um sotaque bem caipira. A gata, que posou nua pela primeira vez mostrou toda a sua desenvoltura diante das câmeras e contou os segredos para manter o corpão e sua experiência no reality show da Record A Fazenda de Verão. Como surgiu o convite para viver a Candinha? Inicialmente, fui chamada pela produção para fazer os testes. Foram várias etapas, mas graças a Deus consegui superar todas elas. O que você faz para manter o corpão em dia? Procuro ter hábitos saudáveis e treinar quase todos os dias, mesmo cansada por causa da correria do dia a dia. Você sempre gostou de se cuidar e malhar? Sempre! É bom se olhar no espelho e ver que está tudo no seu devido lugar. Confira algumas fotos de Nuelle Alves aqui no Blog do Borjão.






Fotos: Revista Playboy de Fevereiro de 2015.

EFEITOS COLATERAIS DO COLÍRIO DO BLOG
Aumento da frequência cardíaca, endurecimento dos membros, falta de ar e insônia.

PRECAUÇÕES
O uso prolongado pode causar dependência. Se persistirem os sintomas, consulte um médico. 

CAUSOS DO BLOG

QUINA PETRÓLEO
por Geraldo Duarte*

Não, caro ledor! Não se trata de loteria da Caixa, produto da Petrobrás e, menos ainda, da Operação Lava Jato da PF. Nada disso! O motivo dá-se à tricologia, ciência direcionada ao diagnóstico e tratamento de problemas dos cabelos.
Sábado, na Arcádia, antigo Bar do Tico, os imortais da Confraria do Copo reuniam-se e, como sempre, buscavam recriar o mundo.
Juvenal Pordeus, desprovido capilar, em trovisco choroso, descontava cinquenta de seus setenta anos de chegada a Terra. Contristado, descrevia o volumoso cabelame, qual juba de leão, que lhe cobrira o crânio. Época do “pai do laquê e avô do gel” e fixador para o couro cabeludo famoso nos reclames radiofônicos: “Dura lex, sed lex; no cabelo só Gumex.”.
Mais: a brilhantina Glostora, Royal Bryar, Gessy ou Atkinsons a completar o assentamento. E, findo o escanhoar, dava-se o refrescor facial com a loção pós-barba Acqua Velva.
Tempos passaram. Cabelos perderam-se ao vento. Nenhum restou. Calva total. Sem valor a velha garantia de Mundico farmacêutico: “Para combater a perda dos pelos, Quina Petróleo! Tiro e queda!”. Nem um, nem outro, foi.
Mil e uma mezinhas. Até emplasto de titica de passarinho. Necas de pitibiriba.
Como principiou tal assunto? Por um noticiário televisivo pouco antes apresentado. Falara o presidente do Senado Renan Calheiros. Quase irreconhecível devido à nova abundante cabeleira ruiva. De fazer inveja a Sansão. Implantada por médico do Recife, depois de voos do alagoano em avião da FAB. 
Leleco perguntou se algum plano de saúde cobre igual terapia. Dai, o Bududa, carecão, bradou: “Se não cobrir, exigiremos o Bolsa Capilar!”.

(*) Geraldo Duarte é advogado, administrador e dicionarista.

SUA CIDADE NO PASSADO

RECIFE – PE NO ANO DE 1930 

Av. Marquês de Olinda - Recife - PE - Brasil nos anos 1930.

CIRCULA NA INTERNET

ABAIXO O ESTATUTO DO DESARMAMENTO!
Não é somente na cidade que a INSEGURANÇA E INOPERÂNCIA se faz presente. No meio rural já existe uma falange denominada - GANG DA VACA, que rende, amarra, xinga criadores e levam na luz do dia todo o seu patrimônio. Se para atender via 190 se gasta 30 minutos, imagina uma comunicação no meio rural. Estamos é lascado. ABAIXO O ESTATUTO DO DESARMAMENTO JÁ!

IMAGEM DO DIA

Uma belíssima imagem na aprazível e aconchegante Fortaleza - CE - Brasil.

PIADA DO BLOG

A PORTA DO COFRE
Dois advogados, sócios de uma consultoria, estão almoçando, quando de repente um deles salta da cadeira e diz:
- Puxa vida, esquecemos de trancar o Cofre do nosso escritório!
- Não faz mal - responde o outro. - Estamos os dois aqui!

TEXTO DO BLOG

UMA ARMADILHA DO AMOR
por Nahman Armony*

Algumas pessoas impõem de tal forma seus desejos ao parceiro que ele acaba por se anular, tornando-se fraco, desinteressante. Muitas vezes o comportamento é fruto do medo de perda: tenta-se dominar o outro para eliminar do outro tudo o que possa atrair olhares alheios. O resultado é que mesmo o próprio olhar vai querer afastar-se. O antigo objeto de amor torna-se indigno de ser amado.
Uma das armadilhas prediletas do amor é a exigência de dedicação incondicional do parceiro. De início, a vítima dessa demanda tenta resistir, manifestando seus desejos, discutindo, fazendo acordos. Mas se o outro é uma pessoa ardilosa, que exibe sofrimento diante das frustrações causadas pelos atos afirmativos do parceiro, este, com o tempo, acaba cedendo, desistindo de seus valores e de sua postura autônoma e independente. Em nome do amor, torna-se servo. E quando a mudança se instala, parte do que era atraente nele -- a força da sua personalidade, a diferença, o desafio, a incerteza desaparece. Uma imagem conhecida exprime bem a situação: chupar a fruta até tirar dela todos os elementos nutritivos e então cuspir o bagaço.
A dobradinha admiração/aprovação faz parte da composição amorosa. A pessoa sente-se valorizada quando é amada por alguém que admira e a aprovação dessa pessoa torna-se um elemento fundamental no equilíbrio da relação. Os conflitos muitas vezes surgem do sentimento de que um não está sendo devidamente apreciado pelo outro e são resolvidos mediante acordo entre iguais. Se o parceiro se torna um zero à esquerda, se já não tem vontade própria, se concorda com tudo que o outro deseja, desaparece como pessoa e não pode mais ser admirado. Sua aprovação ou desaprovação deixa de ser relevante: já não serve para a auto-estima, para o orgulho de ter um parceiro altivo e brioso; já não é um parceiro de luta, pois sua personalidade e força sumiram. Onde deveria haver dois a enfrentar o mundo sobra apenas um com sua rabeira: uma cópia, uma sombra sem força de realização. 
É uma situação paradoxal: deseja-se uma pessoa forte mas se tem medo de que essa força atraia outros provocando abandono. Faz-se então um esforço para dominá-lo até que ele se torne uma criatura fraca, indigna do amor e incapaz de realizar uma parceria produtiva. Isso nos leva a pensar que em certo número de casos a insegurança é um dos componentes que mantém o amor.
Essas considerações se baseiam em um caso que ocorreu em minha clínica. Um rapaz inicialmente tímido havia se tornado auto-afirmativo, adquirindo charme e densidade, usando sua inteligência para estabelecer relações amorosas e eróticas. Tinha romances que duravam algum tempo e, ao terminarem, provocavam um sofrimento que não chegava a atrapalhar o curso da vida. A auto-estima e o garbo se mantinham. Até que, ao se apaixonar por uma mulher que considerava especial, idealizando-a, passou a ter um medo excessivo de perdê-la, como se dela não fosse merecedor. Diferentemente das situações anteriores, em que se sentia em plano de igualdade ou mesmo de superioridade, ele se pôs em situação de inferioridade e passou a atender às solicitações da namorada mesmo quando contrariavam seus sentimentos e princípios. Em pouco tempo perdeu a individualidade e, com isso, seu charme, seu mistério, sua essência. Deixou de existir como pessoa e foi descartado, ficando num estado de extremo sofrimento e desvalorização. Sua auto-estima desapareceu e foi preciso longo tempo para que entrasse no caminho da recuperação de sua identidade e potência.
O amor exige concessões de parte a parte. Mas certos princípios e sentimentos básicos pessoais não podem ser abandonados, sob pena de um desenvolvimento desfavorável da relação e, pior, de uma transformação de um ser humano consistente em uma inconsistência perigosa para o próprio viver.

(*) Nahman Armony, médico psicanalista, é membro da Sociedade de Psicanálise Iracy Doyle (Spid), do Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro e da Federação Internacional das Sociedades Psicanalíticas. Publicou, entre outros livros, Borderline: Uma Outra Normalidade. E-mail: nahman@uol.com.br

sexta-feira, 27 de março de 2015