Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

CITAÇÃO DO DIA

“Nunca perca a fé na humanidade, pois ela é como um oceano. Só porque existem algumas gotas de água suja nele, não quer dizer que ele esteja sujo por completo.”  (Mahatma Gandhi)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

PAES DE BARROS SUGERE DIMINUIR GASTO CORTANDO SALÁRIO DO SETOR PÚBLICO
O governo federal pode poupar a parcela mais pobre dos brasileiros dos cortes de gastos necessários devido à crise econômica por meio da redução nominal de salários do funcionalismo público. A tese foi defendida pelo ex-subsecretário de Ações Estratégicas da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República Ricardo Paes de Barros. "O governo pode equilibrar o orçamento sem aumentar a pobreza no Brasil", afirmou, durante palestra sobre redução da desigualdade social e políticas públicas promovida pelo Instituto Lula, na capital paulista. De acordo com o especialista no tema, a desigualdade salarial no setor privado já caiu, mas é preciso avançar no combate à desigualdade de salários no setor público brasileiro. "É possível reduzir nominalmente os salários do funcionalismo público sem tocar nos 50% mais pobres da população", afirmou. Segundo ele, a metade mais pobre dos brasileiros concentra apenas 17% da renda nacional. "Ou seja, é possível cortar gastos em 83% da renda protegendo 100 milhões de pessoas", defendeu. Nesse sentido, o governo teria condições de proteger os mais pobres e fazer os mais ricos pagarem pelos ajustes necessários neste momento de crise econômica. Em sua palestra, o professor do Insper fez um panorama das mudanças sociais entre 2001 e 2014 e classificou os avanços do período como "fantásticos". "O progresso social foi alcançado com uma queda gigante na desigualdade, ano após ano", destacou. De acordo com Paes de Barros, entre 1976 e 2000, a desigualdade social permaneceu praticamente estável no Brasil, mas entre 2001 e 2015, houve quedas em todos os anos. Para ilustrar a melhoria nas condições de vida dos brasileiros, o especialista relatou que, em 2000, metade dos municípios do País, a grande maioria nas regiões Norte e Nordeste, tinha um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) similar ao da África Central. "Em 10 anos, só há menos de 1% dos municípios naquelas condições. É um avanço absolutamente fantástico. Um progresso para ninguém botar defeito", comentou. Paes de Barros destacou que nos últimos 14 anos, a renda per capta dos 10% mais pobres da população brasileira cresceu 7,5% ao ano. Este ritmo de avanço é quase quatro vezes maior que o acréscimo da renda dos 10% mais ricos entre 2001 a 2014. Segundo o especialista, a renda per capta da metade mais pobre do Brasil cresceu mais de 5% ao ano neste período. "Quando um jornal fala que Brasil não cresce, os 50% mais pobres se perguntam: 'de que país eles estão falando? Eu vejo a renda crescer há 15 anos'", afirmou Paes de Barros. Segundo ele, entre 2002 e 2014, a taxa de desocupação foi reduzida em 8,8 pontos porcentuais, enquanto a remuneração real dos trabalhadores cresceu mais de 41%. "O avanço no combate à desigualdade se deu com a diminuição da taxa de desemprego e o aumento da remuneração do trabalho no Brasil", afirmou. Apenas para os 10% mais pobres, a maior parte do progresso social, 70%, se deu via transferência de renda. "Mas para a metade mais pobre dos brasileiros, foi o trabalho que fez com que eles saíssem da pobreza", afirmou. De acordo com Paes de Barros, a eficiência das políticas públicas dos últimos anos e mudanças no perfil da população brasileira levam à necessidade de reformulação dessas ações. "A política social quando é ineficaz pode ser a mesma sempre. Mas para se conseguir mais 15 anos com o mesmo ritmo de progresso que tivemos, precisamos adaptar nossa política social", disse. Segundo ele, o Brasil terá o maior contingente de jovens integrando a força de trabalho entre os anos de 2000 e 2020. A diferença entre a quantidade de pessoas trabalhando e o número de dependentes, disse, será de 65 milhões. "Isso nunca aconteceu e não vai voltar a acontecer", afirmou o professor do Insper, alertando para a necessidade de o País se preparar para o envelhecimento da população, que processo que aumentará consideravelmente em apenas 20 anos. Um problema apontado pelo especialista é que é necessário aumentar a qualidade do ensino dos alunos brasileiros de modo a elevar o nível da produtividade no País, o que não vem acontecendo. 

HOSPITAL DE RIO PRETO É CREDENCIADO A FAZER TRANSPLANTES DE PULMÃO
Depois de três anos de investimentos para a capacitação de profissionais, tecnologia e infraestrutura hospitalares modernas, o Hospital de Base (HB) de São José do Rio Preto (SP) foi autorizado a fazer transplantes de pulmão. Com isso, se torna a oitava instituição do Brasil - e a primeira do interior do país - credenciada para realizar este complexo procedimento. De acordo com o diretor-executivo da Fundação Faculdade Regional de Medicina (Funfarme), da qual faz parte o HB, Horácio José Ramalho, o hospital está pronto para fazer o transplante e receber cadastro de pacientes potenciais a receber o órgão. “Foram três anos de investimentos para capacitar nossos profissionais e dispomos de tecnologia e infraestrutura hospitalares modernas para fazer este transplante tão complexo”, diz o diretor. O HB teve o credenciamento publicado pelo Ministério da Saúde, no Diário Oficial da União (DOU), menos de dois meses depois de receber os técnicos do Governo Federal e da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo para avaliar a infraestrutura e a equipe multidisciplinar do Serviço de Transplantes e do hospital. Referência nacional na área, o hospital rio-pretense já faz transplantes de córneas, rins, fígado, coração, pâncreas e medula. Desde 1990, o Centro Transplantador de Órgãos e Tecidos do HB já fez mais de 4,2 mil procedimentos, segundo a assessoria de imprensa do hospital.  “Temos uma equipe completa e capacitada, inclusive com médicos que passaram períodos no Hospital da Universidade de Toronto, no Canadá, um centro de referência mundial em transplante de pulmão. O hospital nos deu todas as condições para oferecermos o melhor serviço possível às pessoas que tanto precisam do órgão. Queremos começar os procedimentos o quanto antes”, diz o cirurgião torácico Henrique Nietmann, coordenador do Serviço de Transplantes do HB, que reúne uma equipe de 20 profissionais, entre cirurgiões, clínicos, médicos intensivistas, anestesistas, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais, além do suporte de todas as áreas da instituição. Segundo o pneumologista Rafael Musolino, coordenador clínico do Serviço de Transplantes, atualmente a equipe atende 20 pacientes com doenças como enfisema pulmonar, fibrose pulmonar e fibrose cística. Além do Hospital de Base de Rio Preto, são credenciados no Ministério da Saúde outros dois centros em São Paulo, dois em Porto Alegre, um em Fortaleza, um em Salvador e um em Belo Horizonte. O Serviço de Transplantes do HB de Rio Preto já está à disposição para atender médicos que avaliem ter pacientes com indicação para transplante ou mesmo os pacientes pelo telefone (17) 3201-5000, ramais 1394, 1281 e 1555 ou pelo e-mail: secretaria_tx@hospitaldebase.com.br.

A TECNOLOGIA QUE PROMETE INTERNET 100 VEZES MAIS RÁPIDA DO QUE COM WI-FI
 A popular tecnologia de transmissão de dados sem fio Wi-Fi está prestes a se tornar ultrapassada. Pelo menos é o que indicam os primeiros testes de uma nova tecnologia, chamada de LiFi, que consegue transmitir 1GB de dados por segundo. Isto representa uma velocidade 100 vezes maior que o atual Wi-Fi. E pode ficar ainda mais rápido: a empresa de tecnologia Estonia Velmenni, que realiza estes experimentos, diz que testes realizados em laboratórios na Universidade de Oxford alcançaram 22GB por segundo. A tecnologia LiFi, abreviação para "Light Fidelity" (Fidelidade da Luz, em tradução literal) usa ondas de luz para a transmissão, empregando diodos emissores de luz (LED). "Criamos uma solução de iluminação inteligente para uma área industrial na qual a comunicação de dados se realiza através da luz. Também estamos fazendo um projeto piloto, criando uma rede de LiFi para acessar a internet no escritório", disse Deepak Solanki, diretor-geral da Velmenni.
COMO FUNCIONA?
Em 2011, o criador desta tecnologia, o cientista Harald Haas, da Universidade de Edimburgo, demonstrou que com apenas um LED é possível transmitir mais dados do que com uma antena de telefonia. O LiFi permite que uma lâmpada tenha duas funcionalidades: iluminar e garantir a conectividade com o roteador. A tecnologia foi apresentada em 2012, na feira Consumer Eletronics Show, evento internacional com tecnologias para consumo, em Las Vegas. Em uma demonstração, dois smartphones a uma distância de 10 m trocaram dados entre si através da variação da intensidade da luz de suas telas. Demonstrou-se, também, que o LiFi é mais seguro que o Wi-Fi e não interfere com outros sistemas, mas que poderia ser usado sem problemas em um avião, por exemplo. Mas há um inconveniente: a luz não consegue atravessar paredes.
É O FIM DO WI-FI?
Mas, apesar de suas vantagens, o novo sistema não deverá substituir o Wi-Fi por completo num futuro próximo. Pelo contrário. Ambas as tecnologias poderão ser usadas em conjunto para criar redes mais seguras e rápidas. E pesquisadores trabalham na adaptação dos atuais dispositivos, para que sejam compatíveis com Lifi. A PureLifi, empresa criada por Haas e sua equipe, oferece um aplicativo para um acesso sem fio seguro. A empresa francesa de tecnologia Oledcomm está instalando o seu próprio sistema de LiFi em hospitais. Ao mesmo tempo, empresas como Samsung, LG e outras fabricantes de dispositivos eletrônicos estão interessadas em criar smartphones com sensores de luz LiFi. 

COLÍRIO DO BLOG

“IARA RAMOS” UM PRODIGIOSO COLÍRIO DOSADO EM 05 GOTAS 





Iara Ramos nua na Playboy de Outubro de 2015. A belíssima modelo, de 25 anos do Pânico na Band, em um ensaio para deixar todo mundo em pânico. Inspirado na série de filmes de terror Pânico (e também na série cômica Todo Mundo em Pânico), o ensaio foi clicado pelo fotógrafo Pablo Saborido. “Foi um nu temático, bonito e bem divertido. Eu amo filmes de terror, principalmente aqueles que falam de temas sobrenaturais, bem assustadores”, disse a gata.

Fonte das Fotos: Revista Playboy de Outubro/2015

EFEITOS COLATERAIS DO COLÍRIO DO BLOG
Aumento da frequência cardíaca, endurecimento dos membros, falta de ar e insônia.

PRECAUÇÕES
O uso prolongado pode causar dependência. Se persistirem os sintomas, consulte um médico.

CAUSOS DO BLOG

“HOROSCOPIADA”
por Geraldo Duarte*

Anos sessenta. Até às nove horas, pelo teletipo, o jornal recebia de agência de notícias o horóscopo a ser publicado no dia seguinte.
O secretário de redação, pessoal e diariamente, verificava se a previsão astrológica chegara e lia-a integralmente. Não que acreditasse ou gostasse de tal prognóstico, mas por quase haver sido demitido na data em que, dado a motivo desconhecido, não houve a publicação e a grita dos ledores ocupou o telefone inúmeras vezes.
Passava das onze e nada da chegada da fala dos astros. Republicar algum? Jamais. A descoberta poderia causar o fim do mundo redacional.
Ciente do problema, um repórter comentou existir um foca – aquele aprendiz de jornalista pau-pra-tudo – muito sabedor de astrologia. Chamado e designado com “Mensagem a Garcia”, não se fez de rogado, cumpriu alegre a missão.
O matutino chegou aos jornaleiros e às bancas com os presságios do professor Dib Faruk. Telefonemas, cartas e telegramas com elogios e pedidos de informação sobre o porta voz astral. Não podia ser diferente a empolgação dos consulentes.
Os menos agraciados leram: “O futuro espera-lhe com todos os seus desejos.”; “A sorte escolheu-o como recebedor de vitórias.”; “Os planetas estarão sempre emitindo bons fluidos para você.”; “Nunca desanime, pois a felicidade o aguarda.”.
Na certeza de que o secretário leria completamente o trabalho e era capricorniano, destinou a este signo especial conselho: “Engrandeça mais seus êxitos reconhecendo os do próximo.”.
Poucos sabem que Faruk é cearense, foi foca, estudou astromancia por diletantismo, seu pré-nome é José e o sobrenome não é Faruk.

(*) Geraldo Duarte é advogado, administrador e dicionarista.

SUA CIDADE NO PASSADO

FORTALEZA-CE NO ANO DE 1950

Uma bela imagem focalizando a Praia de Iracema em Fortaleza-CE no ano de 1950. Foto do arquivo Fortaleza Nobre / Nirez.

CIRCULA NA INTERNET

AMIGO OCULTO DO PT

IMAGEM DO DIA

Uma belíssima imagem na região Volta da Jurema em Fortaleza - CE - Brasil, clicada pelas lentes do competente Alex Uchôa.

PIADA DO BLOG

DESEJOS
A professora entra na sala e diz:
— Bem pessoal, hoje veremos o que cada um de vocês vai querer ter quando crescer, certo?
Marianinha, o que você vai querer?
— Bom, professora, eu queria muita ter saúde e felicidade.
— Serginho, e você?
— Eu queria dinheiro e sabedoria.
— Certo, e você Joãozinho?
— O que eu queria professora era uísque e mulher...
— Mas pra que isso Joãozinho?
— Ah, professora, eu já tô enjoado de tanta punheta e Coca-Cola...

TEXTO DO BLOG

A ÉTICA E O AMOR
por Nahman Armony*

Os pensadores da atualidade chamam a atenção para uma mudança fundamental na mentalidade humana. No passado, acreditava-se em princípios universais que, mesmo transgredidos, eram aceitos por todos em uma cultura. A pessoa, ao transgredir, sabia estar indo de encontro à Verdade de seu grupo.
Hoje temos uma dispersão da Verdade. Cada um constrói a sua ética e tenta agir de acordo com ela. A elaboração dessa ética varia de pessoa para pessoa. Nela, misturam-se mandatos advindos da educação, da realização dos desejos próprios e de um cuidado com os outros, seja por amor ou por convicção filosófica. Não estou falando de elaboração consciente, que pode existir, ou se manifestar em algum momento, mas de uma forma não-consciente de agir.
Muitas vezes a ética explícita não é a mesma do inconsciente, o que provoca mal-estar e sentimento de culpa em determinadas situações. Por exemplo: a ética de uma pessoa lhe diz que a infidelidade não é um ato reprovável e, no entanto, ela se sente culpada quando acontece. Vamos pensar em um caso concreto: um jovem adulto, criado em ambiente religioso e repressor, apresenta dificuldades sexuais, as quais o desvalorizam e revoltam. Ele se rebela contra a educação recebida e elabora uma ética própria, em que a sexualidade é um direito de todos. Algo importante está acontecendo. O rapaz desafia, a partir de seus instintos e desejos, a força dos mandatos parentais que, à sua revelia, se tornaram parte dele mesmo. E sua elaboração ética vai além. Para ele, é possível haver infidelidade na relação amorosa, pois esta não deve impedir que um desejo sexual de grande intensidade seja realizado. Sua ética está no respeito ao impulso. Pode-se pensar que este fragmento ético tem sua origem afetiva no desejo de experimentação e variedade (não quero repetir o argumento biológico darwiniano da máxima transmissão dos caracteres hereditários).
Pois bem, esta é a ética que ele apresenta à namorada: ambos teriam o direito a aventuras sexuais. Talvez peça a ela discrição, pois se vier a saber da infidelidade sofrerá. A moça, porém, tem outra ética. Para ela a fidelidade sexual é um princípio cuja quebra é inaceitável. Se o namorado tiver uma aventura, terminará o namoro. Temos aqui duas éticas em confronto, o que não acontecia no tempo em que havia apenas uma Verdade: para o rapaz o ético é não impedir a realização de um forte impulso; para a moça o ético é preservar a fidelidade a qualquer custo. Uma diferença de ajuizamento e um impasse.
O mais coerente seria terminarem o namoro antes que um aprofundamento da relação viesse a fazê-los sofrer na eventualidade de uma traição. Acontece que os dois se amam. Um deles irá ceder. Mas será uma frágil renúncia. Ou ela se sentirá ofendida se houver infidelidade ou ele se sentirá cerceado por não poder se entregar a um desejo intenso que surja. A situação poderá dar origem à dubiedade. Mantendo-se fiel a sua ética, à qual não pode renunciar já que se trata de um princípio básico, ele “sabe” que em situações excepcionais cederá ao desejo. Mas como está muito interessado na namorada, não deixa claros, nem para si nem para ela, os seus sentimentos. Ela aceita esse estado ambíguo porque não quer um rompimento. Ambos concordam em manter uma semi-mentira e uma semi-verdade. Está criado o cenário para muito sofrimento futuro.

(*) Nahman Armony, médico psicanalista, é membro da Sociedade de Psicanálise Iracy Doyle (Spid), do Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro e da Federação Internacional das Sociedades Psicanalíticas. Publicou, entre outros livros, Borderline: Uma Outra Normalidade. E-mail: nahman@uol.com.br

domingo, 29 de novembro de 2015

DICA DO BORJÃO

A “Dica do Borjão” de hoje, 29 de novembro de 2015, disponibiliza a romântica música “NÃO SE ESQUEÇA DE MIM (Roberto – Erasmo Carlos )” no dueto de Nana Caymmi e Erasmo Carlos. Essa música fez muito na trilha sonora da novela da Globo CAMINHO DAS ÍNDIAS. Um excelente domingo para todos Vocês e até a próxima Dica do Borjão.

NÃO SE ESQUEÇA DE MIM
Autoria: Roberto e Erasmo Carlos
Canta: Nana Caymmi & Erasmo Carlos
 
Onde você estiver,
Não se esqueça de mim
Com quem você estiver não se esqueça de mim
Eu quero apenas estar no seu pensamento
Por um momento pensar que você pensa em mim
Onde você estiver, não se esqueça de mim
Mesmo que exista outro amor que te faça feliz
Se resta, em sua lembrança, um pouco do muito que eu te quis
Onde você estiver, não se esqueça de mim
Eu quero apenas estar no seu pensamento
Por um momento pensar que você pensa em mim
Onde você estiver, não se esqueça de mim
Quando você se lembrar não se esqueça que eu
Que eu não consigo apagar você da minha vida
Onde você estiver não se esqueça de mim

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

CITAÇÃO DO DIA

“Se você espera a hora certa de agir, o momento em que todas as  condições sejam ideais, quando suas chances de sucesso estejam  garantidas, esse momento nunca chegará. As circunstâncias nunca são  perfeitas. Sempre haverá inúmeras razões para não agir. Ainda assim, se algo deve ser feito, terá de ser sob circunstâncias  menos que perfeitas. Quando você aceita o fato de que nunca haverá  um momento perfeito, então todos os momentos são perfeitos. As circunstâncias, quaisquer que elas sejam, funcionarão em seu favor  se você trabalhar sem se importar com elas.As condições desfavoráveis, do jeito que estão, podem ser superadas.  O momento atual não é perfeito, mas é o que temos para trabalhar. Ou  você o usa, ou o perde para sempre. Agora não é o momento perfeito, mas é o momento certo para começar  a lutar pelos seus ideais. Faça isso agora ou arrependa-se depois.”  (Rivalcir Liberato)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

COM SELIC A 14,25%, FUNDOS MANTÊM VANTAGEM SOBRE A POUPANÇA
Com a decisão do Banco Central de manter, na quarta-feira (25), a taxa básica de juros (Selic) em 14,25% ao ano, os fundos de renda fixa ganham da poupança na maioria dos cenários desenhados, considerando prazos de resgate e valores de taxas de administração distintos. A estimativa é da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade). Mesmo com o rendimento da poupança em 0,68% ao mês, segundo cálculo da associação, a caderneta perde para os fundos de renda fixa que têm taxa de administração até 2% ao ano em quaisquer prazos.
A caderneta ganha dos fundos que têm taxa de administração de 2,5% ao ano se o resgate for feito em até um ano e perde quando o prazo é superior a esse período. Quando a taxa sobe para 3% ao ano, a caderneta ganha quando o resgate ocorre em até dois anos e empata se o prazo for superior.
ALTERNATIVAS
Outras aplicações também ganham força no cenário de Selic a 14,25% ao ano. Os cálculos são de Samy Dana, professor da FGV (Fundação Getulio Vargas). A inflação para este ano está prevista em 10,33% e isso deve ser levado em consideração antes de definir em qual produto aplicar. Mesmo com remuneração de 80% do CDI (Certificado de Depósito Interfinanceiro, taxa de juros nos empréstimos entre bancos), o CDB leva vantagem sobre a caderneta de poupança. Enquanto o rendimento da poupança fica em 7,44% ao ano, o CDB aplicado pelo mesmo período renderia 8,04%. Se o período for elevado para mais de dois anos, o rendimento anualizado desse CDB subiria para 8,82%, já que a alíquota do Imposto de Renda sobre os juros obedece a uma tabela regressiva que começa em 22,5% e vai caindo gradativamente até alcançar 15%.
No caso da LCI/LCA (Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio, respectivamente), a taxa de retorno fica ainda mais atrativa por causa da isenção de IR para pessoas físicas. De acordo com Samy Dana, se o investidor conseguir uma taxa de 70% do CDI, a remuneração será de 9,02%. Se a taxa for de 90% do CDI, o retorno sobe para 11,74%. O Tesouro Selic (título público pós-fixado que segue o juro básico), com custo de 0,3% de custódia e zero de corretagem, tem retorno em até seis meses de 10,81% e de 11,86% acima de 24 meses. 

EXAME DE ROTINA CONTRA CÂNCER DE PRÓSTATA GERA 'GUERRA' ENTRE MÉDICOS
Uma polêmica sobre câncer de próstata tem dividido sociedades médicas no país.De um lado, a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade passou a contraindicar o rastreamento de rotina, por toque retal e dosagem de PSA (antígeno prostático específico) no sangue. Do outro, a Sociedade Brasileira de Urologia, que defende o diagnóstico precoce e recomenda que todo homem com mais de 50 anos –ou 45, no caso de negros e pacientes com histórico familiar– façam anualmente os exames. Os dois lados apresentam estudos comprovando suas teses. Os médicos da família citam um estudo americano que conclui que o rastreamento precoce não diminui a mortalidade dos homens. Os urologistas respondem citando dois estudos europeus que concluíram o contrário, apontando até 40% de redução na chance de morrer de câncer de próstata entre quem faz os exames preventivos. "O estudo americano tem falhas metodológicas grosseiras", diz o urologista e professor da USP Miguel Srougi. Ele aponta problemas na construção do grupo controle. Ou seja, o estudo não conseguiu reunir um conjunto robusto e estável de homens que ficassem sem fazer exames e que não tivessem feito o PSA recentemente. Além disso, os pacientes foram avaliados por apenas sete anos, na média. No estudo europeu, esse valor foi de 11 anos. Seu colega Rodrigo Olmos, professor do departamento de clínica médica da USP, discorda. Para ele, não se trata apenas do estudo americano. Evidências contra o rastreamento de rotina estão se acumulando na última década, afirma, e a grande maioria dos tumores encontrados pelo rastreamento não se comporta agressivamente. "São cânceres que nunca teriam causado problemas ao paciente caso não tivessem sido detectados pelo rastreamento. Tratar esse tipo de câncer é o chamado sobrediagnóstico. Isso significa levar homens saudáveis a complicações como incontinência urinária e impotência sexual".Para Srougi, dizer que o cirurgião vai operar pacientes saudáveis é "generalizar o comportamento de uma minoria de médicos sem escrúpulos", que querem tirar qualquer tumor porque ganham mais assim. "Mas é perfeitamente possível e muito comum que pacientes com tumores brandos sejam só acompanhados. De cada 20 doentes no meu consultório, seis ficam apenas em vigilância, voltando de quatro em quatro meses."
EPIDEMIOLOGIA
Gustavo Gusso, diretor-científico da sociedade de medicina da família, afirma que os urologistas são formados para tratar a próstata doente, mas não têm treinamento em epidemiologia. "Isso faz com que acabem distorcendo os resultados dos estudos usando números que impressionam, mas são truques estatísticos". Ele ressalta a importância de "ter uma vida saudável, prestar atenção ao corpo e conversar com seu generalista para avaliar os seus riscos". Para colocar mais lenha na fogueira, em 2010, o próprio descobridor do PSA, Richard Ablin, escreveu um artigo para o jornal "The New York Times": "Eu nunca imaginei que minha descoberta quatro décadas atrás iria resultar em um desastre dessas proporções que visa o lucro". O próprio Inca (Instituto Nacional de Câncer) adotou postura semelhante à dos médicos de família, "por existirem evidências científicas de que o rastreamento do câncer de próstata produz mais dano do que benefício". Os urologistas rebatem dizendo que os médicos de família ignoram as particularidades do tumor na próstata. Uma delas é que os sintomas da doença demoram a aparecer, de modo que esperá-los significa ter de lidar com o tumor já em estágio avançado, quando talvez seja tarde demais, afirma o urologista Carlos Sacomani, do AC Camargo Cancer Center. A outra é que o câncer de próstata é especialmente sofrido –o paciente morre devagar, perdendo qualidade de vida ao longo dos anos. "Eles não sabem o tamanho do sofrimento do paciente que tem um câncer avançado, sem cura", diz Srougi. "Correm o risco de ser processados. Imagine você descobrir aos 60 anos que tem um câncer já incurável porque botaram na sua cabeça que não precisava fazer exame."

EMPRESA JAPONESA CRIA SAPATOS COM GPS PARA LOCALIZAR IDOSOS PERDIDOS
Uma empresa japonesa criou sapatos com GPS especialmente planejados para ajudar a localizar idosos com demência, que podem se perder e não conseguir voltar para casa. Os sapatos chamados "GPS Dokodemo Shoes" possuem um localizador instalado no interior do pé esquerdo e permitem mostrar a posição do usuário em dispositivos como smartphones e computadores com um número de identificação e senha; "Temos experiência na busca de doentes com demência perdidos, e sabemos que este perfil de pessoas não utiliza telefones celulares e nem relógios, e sim sapatos. Por isso decidimos criar sapatos com sistema de localização GPS", explicou um porta-voz da Wish Hills, criadora do calçado. O localizador é associado a um dispositivo para o qual envia notificações quando o idoso se afasta mais de 50, 100 ou 500 metros de casa, dependendo do número programado, explicou a empresa. O sistema também mostra a posição do usuário em um mapa para que seja mais fácil iniciar a procura, entre outras funções. A empresa, que diz visar "salvar vidas" com esses sapatos, afirma que o produto está tendo bom resultado, com boas vendas "principalmente entre mulheres na faixa dos 50 anos que têm pai com demência". Os sapatos custam 35 mil ienes (R$ 1.000) e estão disponíveis apenas no Japão, país em que praticamente 25% da população supera os 65 anos. "O mercado doméstico é muito importante para nós, no entanto, no futuro nos interessaria abrir em outros mercados nos quais a população envelhecerá rapidamente nos próximos anos", disse a companhia. A demência é uma síndrome que implica a deterioração da memória, do intelecto, do comportamento e da capacidade para realizar atividades da vida cotidiana. Cerca de 47,5 milhões de pessoas sofrem de demência no mundo, e a cada ano são registrados 7,7 milhões de novos casos, segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde)  

ARTE NO BLOG

A ARTE DE GUSTAV KLIMT - PARTE 02
Gustav Klimt nasceu em Baumgarten, perto de Viena, em 1862. Foi o segundo de sete filhos de Ernst Klimt, cinzelador de metais preciosos, e de Anne Finster. Em 1876, Klimt ingressa na Escola de Artes e Ofícios de Viena, onde, até 1883, é aluno de Ferdinand Laufberger e de Julius Victor Berger. Em 1877 junta-se a seu irmão dois anos mais novo, Ernst. Os dois desenham retratos, a partir de fotografias, vendendo-os a seis florins cada um. Em 1879, Klimt, Ernst e o amigo Franz Matsch, também pintor, decoram o átrio do Kunsthistorisches Museum. Em 1880, as encomendas do trio sucedem-se: quatro alegorias para o teto do Palácio Sturany em Viena e o Teto do estabelecimento termal de Karlsbad, na Checoslováquia.Em 1885 o trio decora a Villa Hermès a partir dos desenhos de Hans Makart, retiro favorito da imperatriz Elisabeth. Em 1886, no Burgtheater, o estilo de Klimt começa a diferenciar-se do de seu irmão e do de Matsch começando então a se afastar do academismo, cada um trabalhando por sua conta. Em 1888 Klimt recebe a Cruz de Ouro de Mérito Artístico das mãos do imperador Francisco José e em 1890 Klimt decora a grande escadaria do Kunsthistorisches Museum em Viena. Foi premiado pelo imperador (400 florins) pela obra que representa "A Sala do Antigo Burgtheater, Viena". Em 1892 seu pai faleceu, vitima de apoplexia, da qual ele também será vitima. No mesmo ano, seu irmão Ernst morre também. Em 1893 o ministro da Cultura recusa-se a ratificar a sua nomeação como professor na Academia de Belas-Artes. Apesar disso, em 1894 Klimt é incumbido, com Matsch, da decoração da Aula Magna da Universidade. Klimt recebeu em Antuérpia o grande prêmio pela decoração do auditório do teatro do Castelo Esterházy, em Totis, na Hungria, em 1895. Em 1897 acontece a revolta oficial com Klimt como membro fundador e presidente do grupo dos secessionistas. Começa então a passar os verões com a sua amiga Emile Flöge, em Kammer, na região de Attersee, onde pinta as primeiras paisagens. Em 1898 Klimt tem sua primeira exposição da Secessão e o grupo funda o periódico "Ver Sacrum". Em 1900 sua pintura, "A Filosofia", foi criticada por 87 professores da Universidade, que a rejeitaram tão logo a descobriram na exposição da Secessão, mas nesse mesmo ano recebe uma medalha de ouro na Exposição Universal de Paris. Um novo escândalo aparece em 1901, na exposição da Secessão. Desta vez são os deputados que interpelam o ministro da Educação a propósito da pintura "A Medicina". Em 1902 encontra Auguste Rodin, que aplaude a pintura "O Friso Beethoven". Em 1903 visita as cidades de Veneza, Ravena e Florença. Os painéis para a Aula Magna de Universidade são colocados na Österreichische Galerie. Klimt protesta. Só então houve uma retrospectiva de Klimt no Palácio da Secessão. Em 1904 Klimt desenha os cartões para os mosaicos murais do Palácio Stoclet em Bruxelas, que a Wiener Werkstätte executará. Em 1905, ele e seus amigos abandonam, então, a Secessão. Expõe 16 telas na Kunstschau em 1908. A Galeria de Arte Moderna compra "As Três Idades da Vida" e a Österreichische Staatsgalerie compra o quadro "O Beijo". Logo no ano seguinte (1909) começa a pintar o quadro "O Friso Stoclet". Então vai a Paris onde descobre com interesse a obra de Toulouse-Lautrec. Descobre também o fauvismo: Van Gogh, Munch, Toorop, Gauguin, Bonnard e Matisse, também expostos na Kunstschau. Em 1910 participa com sucesso da 9ª Bienal de Veneza. E na Exposição Internacional de Roma, em 1911, recebe o 1º prémio com o quadro "A Vida e a Morte". Começa a viajar e vai a Florença, Roma, Bruxelas, Londres e Madrid. Em 1912 Klimt substitui por fundo azul (à maneira de Matisse) o fundo de ouro de "A Vida e a Morte". Em 1915 sua mãe morre. Klimt começa então, a usar cores sombrias e suas paisagens tendem para a monocromia. Em 1916 participa com Egon Schiele, Kokoschka e Faistauer da exposição do Bund Österreichische Künstler na Secessão de Berlim. Morre no mesmo ano o Imperador Francisco José, dois anos antes do desmembramento do seu império. Klimt inicia "A Noiva" e "Adão e Eva". É eleito membro da Academia das Belas-Artes de Viena e de Munique. A 6 de Fevereiro de 1918, Klimt morre de apoplexia. Inúmeras telas ficaram inacabadas. Dá-se a queda do império e o nascimento da Republica Alemã da Áustria e dos seis Estados que daí resultam. Morrem no mesmo ano: Egon Schiele, Otto Wagner, Ferdinand Hodler e Koloman Moser. 

Fonte: Saber Cultural

RECEITA DO BLOG

MACARRÃO À CARBONARA 

INGREDIENTES PARA 06 PORÇÕES
·         bacon picado a gosto
·         queijo ralado a gosto
·         3 ovos
·         sal, pimenta
·         macarrão de sua escolha, espaguete, fusili...
·         creme de leite se quiser dar um toque diferente à receita

MODO DE PREPARO
1.     Fritar bem o bacon, até ficar crocante;
2.     Pode-se adicionar salame picado;
3.     Colocar o macarrão à cozinhar em água e sal no refratário onde será servido o macarrão, bater bem os ovos com um garfo os ovos crus, temperar com sal e pimenta à gosto, e juntar o queijo ralado, também a gosto;
4.     Quando o macarrão estiver pronto, escorrer e colocar, bem quente, sobre a mistura de ovos, e misturar bem;
5.     O calor da massa cozinha os ovos;
6.     Colocar o molho de bacon e creme de leite, ainda quente, sobre o macarrão e servir. 

CIRCULA NA INTERNET


IMAGEM DO DIA

Uma belíssima imagem da nossa amada Praia de Tibau - RN - Brasil, clicada pelo competente Raul Pereira.

PIADA DO BLOG

ALFREDÃO E A BIGAMIA
O grande filósofo Alfredão e a sua turma no animado bate-papo no “happy hour” das sextas no DALLAS GRILL em Fortaleza-CE cujo assunto era a “bigamia”, uns defendiam e outros eram contrários, e nesse vai e vem o Borjão perguntou:
- Amigo Alfredão qual o merecido castigo para a bigamia?
O Alfredão deu aquela olhada de conquistador barato e com o sorriso bem safado respondeu:
- Meu estimado amigo “Papa Jerimum” Borjão, sobre a sua ousada pergunta o que tenho a dizer é que o severo castigo para quem pratica a Bigamia e ter “DUAS SOGRAS”.

TEXTO DO BLOG

PRODUTO FARTO NO MERCADO: REJEIÇÃO
por Gaudêncio Torquato*

Estamos nos aproximando do fim de ano vendo prateleiras vazias de líderes e gôndolas cheias do produto rejeição. Em dezembro, o recesso parlamentar conduzirá a representação política na direção de suas bases, oportunidade em que os nossos atores poderão conferir os apupos que a população dirige aos políticos. Divisarão os primeiros sinais do repúdio que as massas preparam para recepcionar a classe política durante o ano eleitoral de 2016. A rejeição é a palavra de ordem do momento. Rejeitam-se os atores e suas peças – encenações capengas, discursos mirabolantes, promessas vazias de conteúdo, demagogia, populismo, versões estapafúrdias sobre as crises que solapam as bases do edifício político.
A rejeição, desde já, deve ser convenientemente analisada. Trata-se de uma predisposição negativa dos cidadãos em relação aos políticos e seus velhos métodos para engabelar as massas. Para compreendê-la melhor, há de se veri­ficar a intensidade da rejeição dentro da fisiologia de consciência do eleitorado. Analisemos. O processo de conscientização de uma pessoa leva em consideração um estado de vigília do córtex cerebral, comandado pelo centro re­gulador da base do cérebro e, ainda, a presença de um conjunto de lembranças (engramas) ligadas à sensibilidade e integradas à ima­gem do nosso corpo (imagem do EU), e lembranças perpetuamente evocadas por nossas sensações atuais. A equação aceitação/rejeição se fundamenta na reação emotiva de interesse/desinte­resse, simpatia/antipatia. Pavlov se referia a isso como reflexo de orientação.
A rejeição tem uma intensidade que varia de um para outro. Dilma, por exemplo, padece de alta rejeição, bem como os partidos políticos, a partir do PT, o ente mais identificado com a corrupção, objeto da Operação Lava Jato. Lula, que era o mais admirado político brasileiro, também desce pelo perigoso despenhadeiro da rejeição. Alguns protagonistas conservam rejeição história, que nem a névoa do tempo tem conseguido apagar. É o caso, por exemplo, do deputado e ex-prefeito Paulo Maluf. Com o tempo, até que tem sabido administrar a rejeição. Ou melhor, a rejeição de outros é tão mais expressiva que a dele parece ter diminuído.
Alguns políticos, na tentativa de diminuir seus índices de rejeição, promovem mudanças de comportamento e atitudes. Tornam-se menos arrogantes, se esforçam para parecer humildes, circulam no meio do povo, enfim, agem de maneira bem diferente do passado. Erros e rejeições a adversários também contribuem para ate­nuar a predisposição negativa contra alguns rejeitados. Ou seja, purgam-se pelos pecados mortais cometidos por outros. Por isso, caem no slogan popular: “ruim por ruim, votem em mim”.
Em regiões administradas pela velha política, a rejeição a deter­minados candidatos se soma à antipatia, ao grupo familiar e aos velho mando. O cidadão, nesses tempos de extirpação dos cânceres da corrupção, toma consciência e luta para se afastar de perfis que representem o passado. Afinal, o país do século XXI começa a extirpar os valores da velha política, ancorados no princípio: “aos amigos, pão; aos inimigos, pau”. Em todas as regiões do País, há altos índices de rejei­ção aos políticos, o que comprova que os grupos sociais, cada vez mais ilustrados, conscientes, racionais e críticos querem passar uma borracha nos domínios perpétuos.
A rejeição pode ser diminuída? Sim. Condições: pesquisar as causas profundas da indignação social; enfrentar o problema sem tergiversar ou fazer rodeios; não prometer o que não se pode fazer (Dilma fez uma campanha exuberante, prometendo o paraíso, mas as massas só enxergam  fundo do poço). A autoestima, valor que se distinguia no princípio da era Lula, está dando adeus. Pesquisas qualitativas, com re­presentantes de todas as classes sociais, podem também indicar as causas da rejeição. Aparecerão, até, as formas que emolduram o painel da rejeição: atitudes pessoais, jeito de encarar as pessoas, oportunismo, ausência de ideias, omissão no trabalho, mandonismo familiar, falso entendimento do conceito de política (é missão, não profissão), orgulho, vaidade, arrogância, descumprimento de promessas, cooptação pelo poder econômico, história política negativa, envolvimento em escândalos, ausência de boas propostas, descompromisso com demandas da sociedade.
Para enfrentar alguns desses problemas, os pretendentes e desafiantes haverão de comer muita gra­ma. Não se apaga a rejeição de modo abrupto. Ao contrário, quan­do alguém demonstra muita pressa para diminuir a rejeição, essa atitude passará a ser percebida pelo conjunto de grupos críticos, aqueles com maior poder de observação. Ou seja, o esforço poderá dar com os burros n’água.
Trabalhar com a verdade, eis aí o ponto central para se começar a administrar, desde já, a taxa de rejeição. O eleitor de 2016 saberá distinguir alho de bugalho, gato de lebre, falsas ideias de boas intenções, propostas sérias de coi­sas enganosas. Vamos conferir a hipótese: a próxima campanha eleitoral será a que mais rejeitará figuras.  
Sugere-se que os futuros protagonistas eleitorais não percam tempo: montem, desde já, no cavalo de sua própria identidade, melhorando suas habilidades e pontos fortes e procurando atenuar aspectos negativos. Será erro persistir nos velhos hábitos. É preciso mudar na medida do equilíbrio. Sem riscos. Conselho de pé de texto: cuidado com mudanças cons­tantes e bruscas; atentem para a sabedoria da velha lição: não ganha força a planta frequentemente transplantada. 

(*) Gaudêncio TorquatoÉ jornalista, professor titular da USP, consultor político e de comunicação Twitter @gaudtorquato

INDICADORES DO BLOG

BOVESPA
O principal índice da Bovespa fechou em leve alta na quinta-feira (26), amparado na recuperação das ações de bancos e da Petrobras, embora persista a cautela nos negócios ante desdobramentos recentes da operação Lava Jato, que incluíram as prisões do líder do governo no Senado, senador Delcídio Amaral (PT-MS), e do presidente do BTG Pactual, André Esteves. O Ibovespa, principal índice de ações da bolsa, subiu 0,60%, a 47.145 pontos.  Na semana, a bolsa brasileira teve queda de 2,06%, enquanto no mês registra alta de 2,78%. O índice acumula queda de 5,72% no ano.
 ÍNDICES DA BM&FBOVESPA
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
MÁXIMO (PTS)
MÍNIMO (PTS)
Ibovespa
+0,60%
47.199,04
46.867,13
IBX
+0,59%
19.684,97
19.542,99
IBX50
+0,61%
8.010,67
7.949,92
IEE
+1,14%
26.503,45
26.170,51
IGCX
+0,27%
7.567,40
7.522,85
INDX
-0,22%
13.218,70
13.112,95
ISE
+0,55%
2.266,50
2.249,76
IVBX
+0,14%
7.699,55
7.657,98
26/11/2015 17h20| Thomson Reuters

MOEDAS
MOEDA
COMPRA (R$)
VENDA (R$)
VAR (%)
Dólar Comercial
3,7427
3,7445
-0,16%
Euro
3,9675
3,9716
-0,19%
Libra
5,6500
5,6527
-0,16%
Peso Argentino
0,3873
0,3876
-0,23%
26/11/2015 17h18| Thomson Reuters

INFLAÇÃO
ÍNDICE
VALOR (%)
IBGE IPCA Month
0,82%
INPC IBGE (mês)
54,00%
BR IPC-Fipe Infl
FIPE
IPC-DI FGV (mês)
0,24%
IGP-DI FGV (mês)
1,10%
IGP-M FGV (mês)
0,77%
IPA-DI FGV (ano)
-4,08%
ICV Dieese (mês)
0,93%
26/11/2015 17h18| Thomson Reuters                                                   

JUROS E POUPANÇA
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
Selic (ano)
14,25%
CDI (ano)
10,80%
TJLP - Taxa de juros de longo prazo (trimestre)
7,00%
TR - Taxa referencial (mês)
0,1873%
Poupança (mês)
0,688%
26/11/2015 17h18| Thomson Reuters
  
COMMODITIES
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
VARIAÇÃO (PTS)
COTAÇÃO (US$)
Prata
-
+0,08
14,23
Platina
-
+8,76
847,50
Petróleo WTI
+1,07%
+1,01
95,25
Ouro
-
+0,49
1.071,50
Petróleo Brent
0,00%
0,00
44,66
Paládio
-
-0,25
554,00

26/11/2015 17h18| Thomson Reuters

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

CITAÇÃO DO DIA

“Dai-me Senhor, a perseverança das ondas do mar, que fazem de cada recuo, um ponto de partida para um novo avançar.”  (Cecília Meireles)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

ENTENDA COMO A TAXA SELIC AFETA A VIDA DO CONSUMIDOR
A taxa Selic é a média de juros que o governo brasileiro paga por empréstimos tomados dos bancos. Quando a Selic aumenta, os bancos preferem emprestar ao governo, porque paga bem. Já quando a Selic cai, os bancos são "empurrados" para emprestar dinheiro ao consumidor e conseguir um lucro maior. Assim, quanto maior a Selic, mais "caro" fica o crédito que os bancos oferecem aos consumidores, já que há menos dinheiro disponível. O governo usa essa taxa como instrumento para controlar a inflação. Se a Selic é alta, há menos dinheiro circulando e menos procura por produtos e serviços à venda. Se a demanda é menor, os preços caem. A Selic também ajuda a controlar a entrada de investimentos estrangeiros. Quem investe em títulos brasileiros ganha com os juros altos, o que faz entrar mais dinheiro no país. Quanto mais dólares entram no país, menor a cotação dessa moeda por aqui. Os juros altos diminuem o consumo, o que prejudica as vendas e as empresas. Se as empresas não crescem, há mais desemprego, e a economia encolhe. Além disso, o investimento estrangeiro que entra no país por causa dos juros altos é especulativo. Esse dinheiro pode sair daqui a qualquer momento; é diferente do capital que entra para construir uma fábrica ou melhorar uma empresa. É a Selic que dá a medida das outras taxas de juros usadas no país: do cheque especial, do crediário, dos cartões de crédito, da poupança. É a partir dela que os bancos calculam quanto cobrarão de juros para conceder um empréstimo. Quanto menor a Selic, mais "barato" fica para o consumidor fazer um empréstimo ou comprar a prazo. Mas essa relação não é direta. Quando o Banco Central reduz a Selic, essa queda demora a chegar ao consumidor. Isso acontece porque os bancos também cobram, em forma de juros, impostos (IOF), inadimplência, seus custos e seu lucro. Essa diferença entre o que o banco paga ao tomar um empréstimo e o que ele cobra ao conceder um empréstimo é o chamado "spread bancário". Como a Selic também influencia os juros que os bancos pagam quando emprestam dinheiro de alguém, o consumidor também pode ganhar com isso. Em geral, quanto maior a Selic, maior o rendimento das aplicações de renda fixa, como poupança e CDBs.

EMPRESA AMERICANA CONSEGUE LANÇAR FOGUETE E FAZÊ-LO POUSAR NOVAMENTE
A empresa espacial privada Blue Origin, fundada por Jeff Bezos, presidente da Amazon, anunciou na terça-feira (24) que conseguiu pousar um foguete na posição vertical de modo que possa ser usado novamente, um marco na aeronáutica comercial. (VEJA VÍDEO DO POUSO)
Poder reutilizar foguetes, em vez de descartá-los, é um grande passo para tornar o voo espacial menos caro. A realização produziu "o mais raro dos animais: um foguete usado", brincou Bezos em um comunicado. Outra empresa privada, a SpaceX, tentou pousar seu foguete na posição vertical sobre uma barcaça no oceano, mas até agora não conseguiu. Ele já gravou pousos suaves de foguetes que voam a menos de 2 km de altura, uma altitude muito menor do que o que o novo teste alcançou. A Blue Origin disse que o voo não tripulado ocorreu segunda-feira (23) em Van Horn, no Texas. A empresa discreta, com base em Kent, no estado de Washington, não convidou repórteres para participar. Seu primeiro voo de teste aconteceu em abril. Seu veículo New Shepard consiste de um foguete e uma cápsula que é projetada para levar pessoas para o espaço para voos suborbitais. No voo de segunda-feira, foguete voou a cerca de 100 km de altura e lançou a cápsula, que voltou de paraquedas para o chão. Após a separação, o foguete começou a cair de volta para a Terra. Ele abrandou a sua descida ao disparar seu motor, a partir de cerca de 1.500 metros acima do solo, e tinha apenas 7 km/h de velocidade quando tocou o solo no local de lançamento, ainda de pé, disse a empresa.

RUSSOS ROUBARAM R$ 3 BILHÕES COM CRIMES NA INTERNET EM 3 ANOS, DIZ EMPRESA
Um estudo da fabricante de antivírus russa Kaspersky Lab aponta que golpistas russos desviaram pelo menos US$ 790 milhões (cerca de R$ 3 bilhões) com crimes de internet realizados no mundo todo. A cifra considera operações criminosas que foram desbaratadas pela polícia e investigações que contaram com a participação da Kaspersky. Os criminosos atuam no mundo todo. Segundo a empresa, autoridades prenderam mais de 160 criminosos fluentes em russo no período de 2012 a 2015 em diversos países, inclusive nos Estados Unidos e outros países membros do antigo bloco da União Soviética. O país mais atacado pelos criminosos foram os Estados Unidos. Cerca de US$ 509 milhões teriam sido roubados de norte-americanos, segundo o estudo. Os valores, porém, podem ser muito maiores, já que a Kaspersky Lab só considerou os desvios que autoridades conseguiram identificar em suas investigações. Furtos que não foram identificados ou de criminosos que permanecem soltos não fazem parte da cifra. A Kaspersky Lab estima que golpistas russos atuaram com até mil colaboradores nos últimos três anos e a maior parte das fraudes envolve o roubo de dados bancários. Criminosos russos também ganham dinheiro com golpes de extorsão (com vírus de resgate, por exemplo) e disseminando pragas que enviam torpedos SMS para números "premium" (parte do valor da tarifa é recebida pelo criminoso). No relatório, a companhia ainda explicou que o submundo do crime russo é bastante organizado, com criminosos que disponibilizam "serviços" que podem ser contratados por outros golpistas. No entanto, há apenas um pequeno grupo de cerca de 20 criminosos profissionais que formam o núcleo das gangues criminosas.
GOLPE DO CANCELAMENTO
Outra empresa russa, a Group-IB, divulgou que criminosos conseguiram realizar no país um "golpe do cancelamento" em que eles enganaram sistemas bancários para registrar um saque feito em um caixa eletrônico como cancelado. Com isso, eles realizaram o saque repetidamente até esvaziar o caixa eletrônico. O problema aconteceu porque os bancos não verificavam se o cancelamento de uma operação era registrado pelo mesmo terminal onde a operação foi realizada. Os golpistas conseguiram manipular um terminal de vendas nos Estados Unidos para enviar pedidos de cancelamento ao banco russo usando a mesma identificação da operação do saque. Com isso, o saque era cancelado e o dinheiro voltava para o saldo dos golpistas, que podiam realizar o saque novamente. De acordo com a Group-IB, a técnica foi usada para furtar cerca de US$ 4 milhões (R$ 13,7 milhões) de cinco bancos. A brecha já foi fechada pelas instituições financeiras vítimas do golpe.