Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

CITAÇÃO DO DIA

“Todos os dias a vida coloca à nossa frente obstáculos a serem ultrapassados. Algumas vezes somos vencidos ou somos traídos pela nossa má preparação, pelo elemento surpresa ou pela falta de sintonia com os fatos, o que nos deixam de cabeça baixa e com muita reflexão no ar. Mas é importante entender que cada passo equivocado em direção ao sucesso é uma preparação a mais para a conquista de um horizonte bem maior do que sonhamos. Aprendemos muito através das lágrimas e do suor. Aprendemos também que, na virtude da vida, temos que reconhecer primeiro nossos erros, para depois fortalecermos os nossos acertos. Conquiste o seu sonho dourado de felicidade, superando a si mesmo com muita garra, com muita fé e com forte determinação.” (ADONAI ZANONI DE MEDEIROS)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

ESTADOS MAQUIAM ROMBO DA PREVIDÊNCIA E DECLARAM R$ 30 BI A MENOS
Os Estados declararam no ano passado um rombo R$ 30 bilhões menor na Previdência do que o apurado pelo Tesouro Nacional. O boletim anual divulgado mostra que os governos regionais informaram déficit de R$ 55 bilhões com o pagamento de aposentadorias e pensões, mas o Tesouro detectou que o rombo é de R$ 84,4 bilhões. A prática é condenada pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Embora usem uma contabilidade diferente, os Estados referendaram os cálculos do Tesouro. A União faz um acompanhamento anual das contas estaduais para a renegociação de dívida. E, dentro desse programa de acompanhamento, os Estados admitiram que há diferenças nas informações. “Há diferenças de apuração e precisamos trabalhar juntos pela convergência”, diz a secretária do Tesouro, Ana Paula Vescovi. “Temos de estar na mesma página do ponto de vista contábil.”
O presidente do Comitê de Secretários de Fazenda dos Estados (Comsefaz), André Horta, reconhece que há divergências com o Tesouro sobre a classificação de determinadas despesas, mas diz que os governos estaduais trabalham para adequar as estatísticas. A renegociação da dívida dos Estados previu alguns dispositivos para tentar tornar essa contabilização menos desigual. “O mais correto provavelmente é algo entre os dois (modelos)”, diz Horta. Gravidade. O mais grave é que a conta para o futuro também está subestimada. Surpreendentemente, o rombo nas contas da Previdência dos Estados já é maior do que as previsões feitas para os próximos anos pelos próprios governos regionais. “As decisões do presente podem estar sendo turvadas por essas estimativas, que estão minimizando o problema”, adverte a secretária do Tesouro. Na sua avaliação, o retrato mais fiel da realidade dos Estados ajuda na tomada de decisões para resolver os problemas. Hoje, as dificuldades estão escondidas por números irreais.

POLUIÇÃO ALTERA HORMÔNIO DO ESTRESSE E MUDA METABOLISMO, MOSTRA PESQUISA
O ar poluído faz com que os hormônios do estresse aumentem, sugere uma nova pesquisa, o que poderia ajudar a explicar por que a exposição a longo prazo à poluição está associada a doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais, diabetes e, no geral, a uma vida mais curta. Equipe do pesquisador Haidong Kan, da Universidade Fudan, na China, analisou efeitos de pequenas partículas com menos de 2,5 micrômetros de diâmetro que podem ser inaladas e alojadas nos pulmões. O novo estudo, publicado em agosto no periódico "Circulation", incluiu 55 estudantes universitários saudáveis ​​em Xangai, uma cidade com níveis de poluição na faixa média em comparação com outras cidades chinesas, de acordo com Kan. Pesquisadores colocaram purificadores de ar no dormitório de cada aluno por nove dias. Após um período de 12 dias durante o qual os filtros foram removidos, outro teste foi realizado. Nessa nova etapa, o grupo foi dividido um dois: um que recebeu filtros funcionais e outro que recebeu filtros que não funcionavam. No final de cada período, pesquisadores testaram o sangue e a urina dos alunos e identificaram moléculas marcadoras da exposição à poluição. Também os níveis de hormônios do estresse (cortisol, cortisona, epinefrina e norepinefrina) aumentaram com o ar mais sujo, assim como os níveis de açúcar, de aminoácidos, de ácidos graxos e de lipídios. "Esta pesquisa acrescenta novas evidências sobre como a exposição a essas partículas afeta nossos corpos, o que pode (em última instância) levar a um maior risco cardiovascular", disse o Dr. Kay à Reuters. A maior exposição à poluição também foi associada a uma pressão arterial mais alta, uma pior resposta à insulina e marcadores de estresse molecular -- o que pode, ao longo do tempo, aumentar o risco de doença cardíaca, diabetes e outros problemas.
AMEAÇA GLOBAL
Robert D. Brook, da Universidade de Michigan, em Ann Arbor, co-autor de um editorial que acompanha o estudo, disse à Reuters que as respostas ao estresse desencadeadas por essas pequenas partículas de poluição "são maiores e mais variadas do que se sabia anteriormente. "
Ele acrescentou: "As ações simples tomadas a nível pessoal, incluindo o uso de purificadores de ar, podem reduzir substancialmente os efeitos nocivos à saúde da poluição ao longo de alguns dias". Avançando, disse Brook, as descobertas indicam sobre a urgência de um estudo clínico capaz de provar se os purificadores de ar podem realmente reduzir eventos cardiovasculares e mortalidade em países altamente poluídos. "Esta prova baseada em evidências é necessária para ajudar a fornecer recomendações clínicas para milhões de pessoas com doenças cardíacas que vivem em regiões onde a má qualidade do ar não deve melhorar significativamente nas próximas décadas", disse Brook. aumentar o risco de doença cardíaca, diabetes e outros problemas. "Estamos todos em risco para os perigos da poluição do ar e somos todos parcialmente responsáveis. É hora de avançar com fontes de energia e transporte mais ecológicos para o nosso bem e para o benefício de todos os outros no planeta."

POR QUE AS AUTORIDADES E 'HACKERS DO BEM' SE DESENTENDEM?
A prisão do "herói do WannaCry", o britânico Marcus Hutchins, de 23 anos, também conhecido como "MalwareTech", pode parecer esquisita. Mas, sendo ele inocente ou não, é só mais um capítulo em uma série de desentendimentos entre as autoridades e pesquisadores de segurança, ou "hackers do bem". Hutchins rotineiramente trabalha interceptando o tráfego de pragas digitais que formam as chamadas "redes zumbis" - conjuntos de computadores contaminados por vírus que agem de acordo com a vontade de criminosos. Mas ele ficou conhecido quando, ao tentar interceptar o tráfego do vírus WannaCry, ele acabou ativando um "botão de desligamento" do vírus, impedindo novos ataques.  Depois de uma visita aos Estados Unidos, para participar da tradicional conferência de segurança Defcon, em Las Vegas, Hutchins foi preso. Ele é acusado de ter criado o vírus Kronos, uma praga digital capaz de roubar senhas bancárias. Segundo alguns relatos, é possível que alguns códigos escritos por ele possam ter de fato sido usados no vírus. E é aqui que o desentendimento entre autoridades e pesquisadores costuma começar. Muitos códigos de ataque são criados por pesquisadores como forma de provar um ataque teórico ou mesmo para demonstrar um tipo de fraude na prática. Essas "provas de conceito", como são chamadas, são às vezes tão eficientes e eficazes quanto qualquer código feito para serem usados em situações reais de ataque. Eles, no máximo, precisam de algumas adaptações. Embora nada esteja definido no caso de Hutchins, não seria nenhuma surpresa se um código que ele desenvolveu para fins de pesquisa ou demonstração de ataque tenha achado lugar no meio de uma praga digital para roubar senhas. Mesmo que isso seja verdade, porém, é preciso saber se ele sabia para quem estava vendendo e para que o código seria usado. Hutchins se declarou inocente.
'EXPORTAÇÃO DE ARMAS'
Regras para a criação de códigos "subversivos" podem colocar pesquisadores e empresas na mira das autoridades pelo equivalente à "exportação ilegal de armas cibernéticas". As regras foram delineadas em uma proposta norte-americana, o "Acordo de Wassenaar". Um evento de segurança no Japão perdeu o patrocínio da HP, que alegou uma possível incompatibilidade com as regras, em 2015. Mas, mesmo sem esse tipo de regulamentação, pesquisadores muitas vezes se veem na mira das autoridades.  Foi o caso de David Levin, que em 2016 foi preso após supostamente invadir um sistema eleitoral nos Estados Unidos. A intenção de Levin, segundo o próprio, era identificar falhas para ajudar a melhorar o sistema. Mas não foi isso que as autoridades enxergaram. Em 2001, o russo Dmitry Sklyarov foi preso por ter programado um software para burlar a proteção usada em livros digitais (ebooks). Sklyarov e a ElcomSoft, empresa para qual ele trabalhava, foram inocentados em 2002. A burla de mecanismos de proteção de direito autoral não era crime na Rússia, que abre dúvidas sobre a segurança de pesquisadores que precisam viajar de um país para outro e podem acabar indiciados por crimes que não existem onde eles moram. Conferências de segurança já tiveram muitos problemas com palestras canceladas após pedidos de autoridades ou ameaças de processo contra pesquisadores feitas por empresas que não queriam ter falhas expostas em seus produtos. No Brasil, houve propostas para que a legislação incluísse um colchão de segurança para pesquisadores e especialistas que tentam analisar e demonstrar técnicas de ataque. O conceito, chamado de "defesa digital", não sobreviveu no texto aprovado pelo Congresso Nacional. 

ARTE NO BLOG

A ARTE MARCIO SÁ – PARTE 01
Marcio Sá nasceu no Rio de Janeiro, autodidata, iniciou seus trabalhos na arte do desenho, aperfeiçoando sua técnica no SENAC entre 1976/1977. Desenvolveu seus trabalhos na técnica do pontilhismo em bico de pena (mono e policromático), passando a participar de salões de arte promovidas pelas academias de arte instaladas no Rio de Janeiro. Através da Comendadora e Mestre Sandra Erse, aperfeiçou sua técnica em óleo sobre tela, participando de exposições coletivas no Brasil, onde foi agraciado com diversas premiações, destacando-se a moção da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Participou da Artexpo, New York – USA e Figueiró dos Vinhos - Portugal. Em 2009 iniciou seus estudos na técnica de acrílica sobre tela com orientação do Comendador e Mestre Jaderson Passos, sempre mantendo seu estilo surrealista.

Fonte: Saber Cultural

RECEITA DO BLOG

BACALHAU AO FORNO 

INGREDIENTES PARA 2 PORÇÕES
BACALHAU:
·         200 g de lombo alto de bacalhau Gadus morhua
·         Azeite de manjericão a gosto
·         Bolacha de batata
·         500 g de batatas Asterix
·         1 cebola roxa pequena picada
·         1 dente de alho laminado
·         Ervas diversas e manteiga a gosto
COMPOTA
·         300 g de tomate, sem a pele e as sementes
·         50 g de cebola picada
·         2 dentes de alho laminados
·         Flor de sal a gosto
·         Bolacha de batata

MODO DE PREPARO
1. Cozinhe as batatas, com a casca, em uma panela com água abundante, até que fiquem bem macias. 
2. Descasque e amasse-as com um garfo. 
3. Refogue a cebola e o alho com um pouco de manteiga e incorpore a batata. 
4. Junte as ervas picadas, misture bem e salpique a flor de sal. 
5. Forme bolachas, utilizando forminhas no formato desejado.
Compota
1. Em uma caçarola, refogue a cebola lentamente em fogo baixo. 
2. Adicione o alho e o tomate e cozinhe em fogo baixo até obter textura de compota. 
3. Salpique flor de sal para finalizar.
Bacalhau
1. Doure o bacalhau em uma frigideira antiaderente e leve ao forno a 180 °C por 5 minutos – o tempo pode variar conforme a altura da posta. 
2.Montagem
Monte uma quenelle com a compota de tomates, disponha o bacalhau e regue com o azeite de manjericão. 

Fonte: Receita do chef Raphael Despirite.

CIRCULA NA INTERNET


IMAGEM DO DIA

Uma encantadora imagem de uma noite de luar na Praça Rodolfo Fernandes na nossa amada e bela Mossoró - RN - Brasil.

PIADA DO BLOG

A CONVERSA DA ESPOSA DO ALFREDÃO
A Rosicléa esposa do grande filósofo Alfredão e sua amiga Claudete em um bate papo no chá das cinco:
- Sabe, Claudete! Depois de anos e anos consegui tirar do Alfredão, o vício de roer as unhas!
- É mesmo, Rosicléa? E como você conseguiu isso?
- Escondi a dentadura dele!

TEXTO DO BLOG

REVOADA NA FLORESTA TUCANA
por Gaudêncio Torquato*

Os tucanos, apontados como os bichos que mais gostam de pousar em cima dos muros, vivem momentos críticos nesse ciclo de turbulências por que passa o país. O partido da social-democracia brasileira, o PSDB, está rachado. A fissura se acentuou por ocasião da votação na Câmara sobre a denúncia feita pelo Procurador Geral da República, encaminhada ao STF, envolvendo o presidente da República. A Câmara acabou rejeitando por 263 votos a autorização pedida pela alta Corte para investigar o presidente,  com a bancada tucana dando 22 votos a favor de Temer contra 21.
Um spot publicitário, veiculado esta semana, avisa que o partido, no programa partidário a ser veiculado dia 17 próximo, vai “admitir erros”  cometidos no passado. O racha se alarga, eis que parcela dos tucanos não admite a confissão pública que o presidente interino da sigla, senador Tasso Jereissati, endossa. O partido se aproxima da Torre de Babel e uma profusão de vozes e barulhos impacta a unidade partidária, ameaçando a necessária integração de forças, fator absolutamente indispensável para que o PSDB seja forte protagonista no pleito presidencial de 2018.
A crise vivida pelo partido não é coisa recente. Já faz um bom tempo que os tucanos enxergam sua identidade coberta de fumaça, após consideráveis perdas de massa doutrinária. Por ocasião de sua fundação, o PSDB apresentou ao país um denso documento, com a descrição da social-democracia que queria implantar. Ali estavam os fundamentos do Estado do Bem Estar Social (Welfare State),  com pontuações agudas sobre o papel do Estado na economia,  acumulação de capital e distribuição igualitária de ganhos para a sociedade, crescimento econômico, geração de empregos,  ordem social, liberdades democráticas etc. Apontava sua distinção de partidos liberais, a partir da preocupação com o bem-estar coletivo, e a meta de combate à pobreza e à exclusão social.
Os fundadores do partido em 1988 (Mário Covas, Franco Montoro, Fernando Henrique, José Serra, entre muitos), inspiravam-se na modelagem de forte tradição democrata que se podia ver na Alemanha, Suécia, França, Inglaterra, Holanda e Espanha. Mais adiante,  o país elegeu o sociólogo Fernando Henrique, o schollar do tucanato, elevado ao cargo em virtude do bem-sucedido Plano Real, peça fundamental na arquitetura socioeconômica que resgatou os deteriorados eixos de nossa economia. Mas a social- democracia acabou se transformando em gigantesca encruzilhada em que se encontraram grandes e médios partidos do país: PMDB, PFL/DEM, PT, depois PSB, PDT, PTB e os entes criados nos laboratórios da desideologização, esses que se aglomeram hoje no espaço que se designa de centrão.
O PT, principalmente, saiu da ponta esquerda do arco ideológico para se aproximar do centro, avizinhando-se do PSDB e do próprio PMDB. A descaracterização das siglas jogou-as todas no painel da pasteurização ideológica, sobrando a elas apenas refrãos e slogans, como aquele do PT criando o apartheid social (“Nós e Eles”). Ante a fragmentação doutrinário-ideológica, é possível compreender a crise que hoje afeta o PSDB. Indivíduos e alas a que pertencem tornaram-se mais importantes que a substância programática. Caciques deram e dão o tom dos cantos. Com o desaparecimento de tucanos de boa origem (Covas, Montoro, Teotônio Vilela, Beto Richa), sobrou Fernando Henrique como o ícone e maestro da orquestra. Hoje lhe faltam vontade e tempo para dedicação intensa ao partido.
No comando do tucanato, apareceram Tasso e Aécio, cada qual representando mais espaços geográficos (Sudeste, Nordeste) do que nichos ideológicos. O partido se esgarçou. Tornou-se um ente igual aos outros, cheio de grupos e posições. Esta é sua atual identidade. Há, por exemplo,  uma parcela que defende a retirada dos tucanos do governo Temer e outra que defende sua permanência. Lembre-se que a parceria entre PMDB e PSDB, construída para dar salvaguarda ao governo Temer, foi construída sobre um conjunto de ações e reformas aprovadas por ambos. Ou seja, o atual governo realiza o programa definido por tucanos e peemedebistas. Não haveria razão, portanto, para o PSDB abandonar o navio no meio da travessia. Quem defende a saída o faz por interesses eleitoreiros. Receiam não ganhar votos no pleito de 2018 por conta da impopularidade do presidente.
Cabeças-pretas, jovens deputados, contra cabeças-brancas, parlamentares mais velhos: eis o que virou a social-democracia do tucanato. Ou, em outros termos, pecadores no confessionário contra outros que não admitem pecados. O chefão tucano, Jereissati, quer pedir perdão à sociedade por ter seu PSDB cometido erros, sob a crença de que o reconhecimento público de pecados acabará jorrando votos nas urnas tucanas. Mas há uma turma que não admite ter feito infração. O que a querela poderá causar? Formidável divisão, cujos efeitos recairão sobre o protagonismo partidário. E que tucano poderá ter as asas quebradas? Geraldo Alckmin. O governador de São Paulo praticou um erro crasso: combinar com o líder Ricardo Tripoli o voto contra Michel Temer na Câmara; e, segundo se viu, ainda sugeriu a saída dos tucanos do Ministério.
Quem ganha com essa balbúrdia? O prefeito de São Paulo, João Doria. É o único que simboliza avanços, modernidade, inovação. Trata-se de um perfil que possui condições para adentrar as portas da eleição presidencial de 2018 e ser bem-sucedido. Faz boa administração, é trabalhador, domina bem a expressão, tem imensa capacidade de deslocamento, articula-se bem e poderá ser tanto o candidato do PSDB quanto do PMDB. Ou de outro. As portas de muitos partidos se abrem para ele. João é leal a Alckmin. Claro, até onde a lealdade esbarrar no pragmatismo. Se as circunstâncias políticas e sociais lhe forem favoráveis, ele irá à luta, quer dizer, se o cavalo passar encilhado na frente, não pode deixar de montar. Cavalo encilhado não passa duas vezes no mesmo lugar.
Mais: João Doria lapida sua identidade anti-Lula. Uma alavanca poderosa. Mesmo que Luiz Inácio não seja candidato.

(*) Gaudêncio Torquato, jornalista, é professor titular da USP, consultor político e de comunicação Twitter@gaudtorquato

INDICADORES DO BLOG

BOVESPA
O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou na quinta-feira (17) em queda de 0,9%, a 67.976,8 pontos, após quatro altas seguidas. 
COMMODITIES
UNIDADE
COMPRA
VENDA
VARIAÇÃO
Petróleo (Brent)
Barril
US$ 50,260
US$ 50,280
-0,04%
Ouro
Onça troy
US$ 1287,860
US$ 1288,650
+0,02%
Prata
Onça troy
US$ 17,028
US$ 17,037
-0,13%
Platina
Onça troy
US$ 970,500
US$ 980,500
-0,1%
Paládio
Onça troy
US$ 919,900
US$ 923,450
-0,17%

CÂMBIO
COMPRA
VENDA
VARIAÇÃO
Dólar com.
3,1778
3,1785
+1,02%
Dólar tur.
3,1600
3,3500
+2,13%
Euro
3,7229
3,7247
+0,36%
Libra
4,0867
4,0877
+0,6%
Pesos arg.
0,1828
0,1832
-0,16%







INDICADORES
VALOR
ATUALIZAÇÃO
Salário Mínimo
R$ 937,00
2017
Global 40
+112,32%
17.Ago.2017
TR
+0,01%
17.Ago.2017
CDI
+9,14%
17.Ago.2017
SELIC
+9,25%
26.jul.2017

INFLAÇÃO
ÍNDICE
MÊS
VALOR
IPCA
Jul.17
+0,24%
IPC-Fipe
Jul.17
-0,01%
IGP-M
Jul.17
-0,72%
INPC
Jul.17
+0,17%


quinta-feira, 17 de agosto de 2017

CITAÇÃO DO DIA

“Se soubesse que o mundo se desintegraria amanhã, ainda assim plantaria a minha macieira. O que me assusta não é a violência de poucos, mas a omissão de muitos. Temos aprendido a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas não aprendemos a sensível arte de viver como irmãos.” (MARTIN LUTHER KING)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

GOVERNO SOBE PARA R$ 20 BILHÕES PREVISÃO DE RECEITA COM CONCESSÕES EM 2018
O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, informou nesta semana que o governo espera contar com mais receitas de concessões para tentar atingir a meta fiscal do próximo ano. De acordo com ele, a previsão de arrecadação com concessões no próximo ano passou de R$ 7 bilhões para cerca R$ 20 bilhões. "Já tínhamos projeção inicial das concessões regulares, de R$ 7 bilhões, porque tem pagamentos de anos anteriores. Estamos acrescentando R$ 7,5 bilhões de energia e R$ 6 bilhões no setor de aeroporto", declarou. Mais cedo, o governo anunciou que vai propor ao Congresso elevar o teto para o rombo das contas públicas em 2017 e 2018, para R$ 159 bilhões. A meta que está hoje em vigor é de déficit de até R$ 139 bilhões, para 2017, e de até R$ 129 bilhões, para 2018. Há uma semana, o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, afirmou que o governo federal estuda leiloar outros 19 aeroportos, no Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste, hoje sob a administração da Infraero. Segundo o ministro, o governo avalia fazer o leilão dos 19 aeroportos divididos em três blocos:
·  Bloco Nordeste: aeroportos de Recife, Maceió, Teresina, São Luis, João Pessoa, Aracaju, Petrolina e Juazeiro do Norte;
·   Bloco Centro-Oeste: aeroportos de Rondonópolis, Cuiabá, Sinop, Barra do Garça e Alta Floresta;
·  Bloco Sudeste: aeroportos de Vitória, Macaé, Santos Dumont, Jacarepaguá, Campo de Marte e Pampulha.

A SURPREENDENTE DESCOBERTA SOBRE O NÚCLEO DO SOL QUE INTRIGA CIENTISTAS
O núcleo do Sol gira quase quatro vezes mais rápido do que a superfície da estrela. A descoberta, publicada na revista Astronomy and Astrophysics, surpreendeu os cientistas. A ideia de que o núcleo solar pudesse girar mais rápido do que sua superfície era motivo de especulação há mais de duas décadas, mas o fenômeno nunca tinha sido de fato medido. "A explicação mais plausível é que a rotação do núcleo seja um resquício do período em que o Sol se formou, há cerca de 4,6 bilhões de anos", afirma Roger Ulrich, professor emérito da Universidade da Califórnia em Los Angeles e um dos autores do estudo. "É muito emocionante pensar que descobrimos uma relíquia da formação do Sol", acrescenta o cientista, que estuda o interior do astro há mais de 40 anos. Quando o Sol nasceu A rotação do núcleo solar pode dar pistas sobre o processo de formação da estrela. De acordo com Ulrich, após o nascimento do Sol, o vento solar provavelmente desacelerou a rotação da parte mais externa da estrela. A rotação também pode ter impacto sobre as manchas solares, segundo o especialista. As manchas solares são áreas do Sol com uma temperatura mais baixa do que o ambiente e elevada atividade magnética. Uma única mancha pode ter diâmetro semelhante ao da Terra. 
OSCILAÇÕES
Os pesquisadores analisaram as ondas acústicas na superfície da atmosfera solar - algumas penetram no núcleo e interagem com outras ondas. Ao medir as ondas sonoras, os cientistas determinaram com precisão o tempo que essas ondas levam para ir e voltar da superfície para o centro do Sol. Os cálculos foram baseados em dados coletados durante 16 anos de observações com um instrumento chamado Golf, sigla para Global Oscillations at Low Frequency (Oscilações Globais de Baixa Frequência). O instrumento se encontra, por sua vez, em uma sonda especial chamada SoHo, abreviação para Solar and Heliospheric Observatory(Observatório Solar e Heliosférico), projeto da NASA em parceria com a Agência Espacial Europeia.
15 MILHÕES DE GRAUS
O núcleo do Sol também se diferencia da superfície em outro sentido. A temperatura do núcleo é de cerca de 27 milhões de graus Fahrenheit ou 15 milhões de graus Celsius. Já a superfície da estrela é menos quente, com temperatura de aproximadamente 10 mil graus Fahrenheit ou 5,5 mil graus Celsius. Enviada ao espaço em 2 de dezembro de 1995 para estudar o núcleo do Sol, a atmosfera solar e os ventos solares, a sonda SoHo segue em operação.

PENDRIVES SE REINVENTAM E PASSAM A TURBINAR MEMÓRIA DOS CELULARES
Quem usa smartphone Android sabe que há muito tempo conta com a alternativa de guardar muitos arquivos, sobretudo os mais pesados, como vídeos, em um cartão de memória extra. Mas há algum tempo os pendrives passaram a ser mais uma opção para isso. Populares até o final da década passada, os pendrives foram os primeiros grandes substitutos dos disquetes. Com eles você podia transferir arquivos entre um computador e outro usando as portas USB. Com armazenamento médio entre 512 MB e 8 GB, eles foram grandes aliados em um período em que a transferência de arquivos pela nuvem, via serviços como Dropbox e Google Drive, ainda eram um sonho distante. Mas agora eles ganham uma sobrevida ao serem adaptados para as portas microUSB de celulares e para o padrão mais recente, o Type-C (ou tipo C). As versões mais recentes do sistema Android -- 6.0, 7.0 e 7.1-- já suportam esses produtos como uma memória extra, e os arquivos podem ser transferidos por meio de um app gerenciador de arquivos, que mostra as pastas e arquivos de forma muito parecida com o Windows Explorer, nos PCs.
UTILIZANDO
Ao plugar um pendrive na entrada microUSB do celular, o Android reconhece-o e mostra no alto da tela principal, na área de notificações, quando você desliza o dedo de cima para baixo. É só clicar na notificação do pendrive --identificado pelo símbolo do USB, aquele tridente com um triângulo, um círculo e um quadrado nas pontas -- e começar a navegar no conteúdo dele, gerenciando pastas e arquivos. Isso se o seu celular já estiver com o gerenciador de arquivos instalado, claro. Chamado de Dual USB, têm dois conectores --um USB normal para PCs e o outro para celular - -,que se alternam por meio de algum truque, como uma alavanca que desliza --tipo os canivetes automáticos -- ou um corpo que gira e troca de conector. A maior vantagem de um pendrive desse tipo é não precisar de um computador para descarregar de imediato parte do conteúdo que porventura estiver lotando a memória do seu celular, como fotos e vídeos de uma viagem. Além do que, você pode rodar esse mesmo conteúdo direto do pendrive sem problemas. Por exemplo, se seu celular não tiver memória livre suficiente para guardar um arquivo de um filme longa-metragem --que ocupa pelo menos 700 MB-- você pode guardá-lo no pendrive e sacá-lo para ver o filme durante uma viagem de ônibus ou de avião. Ou seja, faz praticamente o mesmo que um cartão microSD. Pendrives Dual USB já são comercializados no Brasil via marcas como Sandisk e Sony e tendem a ter mais memória e serem mais caros que pendrives comuns: enquanto um comum de 16 GB da Sandisk custa cerca de R$ 30, uma versão Dual USB da mesma marca vale mais de R$ 40. Outros modelos têm 32 a até 256 GB e os preços podem superar os R$ 120. O UOL testou um modelo da Sony da série USM-SA2 (16 GB) e outro da SanDisk, o Dual Drive USB Type-C (32 GB). Ambos se saíram bem, transferindo fotos e vídeos sem problemas, apenas a costumeira espera em arquivos mais pesados. Eles têm preço sugerido de R$ 85 e R$ 110, respectivamente. Outra má notícia é que esses produtos não conseguem armazenar tudo: guardar músicas do Spotify ou filmes do Netfilx offline, para ficar em dois exemplos, não rola. Mesmo que os apps já aceitam os cartões SD para esse fim, eles não reconhecem os pendrives para isso.